Yolandinha, Yolandíssima, eternamente…

“Se alguma vez me sinto derrotado / Eu abro mão do sol de cada dia /Rezando o credo que tu me ensinaste / Olho teu rosto e digo à ventania /
Yolanda, Yolanda, eternamente Yolanda”. Quem escreveu, disse e cantou isso foi o cubano Pablo Milanéz, compositor, cantor, guitarrista, para sua mulher amada Yolanda Benet. Canção tão bela, tão romântica e verdadeira, que ganhou versão em português de nosso poeta Chico Buarque, que a gravou, como também fez a Simone…

Bem, o Paulinho Barros Barreto não cantou a música Yolanda, pois canta a sua Yolanda propriamente dia a cada dia, hora e minuto, e lá se vão muitos felizes anos, pois Yolandinha é mesmo a ventania que lhe festeja e movimenta a vida, o sol que aquece seus invernos, outonos, primaveras e verões, sejam eles à beira das ondinhas do Arpoador ou na pérgola da piscina do Hotel du Cap, onde há séculos costumam passar seus verões…

Como sempre, Yolandinha, com seu gosto extravagante, peculiar e chiquérrimo, reuniu em sua casa tão bela um grupo de amigos tão antenados quanto ela para uma mui alegre festa de aniversário. Confiram…

yolanda Yolandinha, Yolandíssima, eternamente...Fotos Sebastião Marinho

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *