Uma noite de gente de teatro, como deve ser

Festa de gente de teatro nada tem a ver com festa de gente de televisão, apesar de muitos personagens serem os mesmos. Há, contudo, uma postura diferente, menos purpurinada, mais responsável, mais fraterna e amiga, menos artificial. Assim foram entregues ontem, no Teatro Carlos Gomes, os prêmios da APTR – Associação dos Produtores Teatrais do Rio de Janeiro – em 11 categorias, este ano com a participação da Prefeitura do Rio, o que permitiu que, além do troféu, como habitualmente acontece, cada um dos premiados recebesse também um cheque de quatro mil reais…

Porém, diferença de atitude de uma celebração de gente de teatro para uma celebração de BBB’s parece que não sensibilizou alguns sites, que destacaram apenas os “selinhos” entre os famosos. Uma pena! Havia tanto mais a contar…

Dizer do piano ótimo de João Carlos Assis Brasil, com que todos foram antes brindados. Dizer do fôlego de Julia Lemmertz, que mereceu o troféu de Melhor Atriz por sua atuação em Deus da carnificina. Afinal, conseguir se destacar num elenco em que os demais três atores (Deborah Evelyn, Paulo Betti e Orã Figueiredo) estavam igualmente magníficos e dignos de prêmios é uma grande vitória de Julia, que concorreu com Guida Viana, por Dona Otília e outras histórias, Totia Meireles, por Gypsy e Mariana Lima, na peça Pterodátilos, que por sinal deu o prêmio de Melhor Ator para Marco Nanini, no duplo papel de pai e de filha, em uma família desagregada, que lhe valeu adjetivos da crítica de “excepcional” para cima, e lhe valeu também o Prêmio Shell 2011

Pterodátilos, foi também premiado como o melhor espetáculo da temporada passada. Outra premiação abiscoitada pela montagem foi a de Melhor Cenografia, para Daniela Thomas, e esta é mesmo craque (além de ser filha do Ziraldo, sabiam?)…

O ponto do alto da noite não foram os selinhos fartamente fotografados. Foi a profissão de fé feita por Fernanda Montenegro, no palco do Carlos Gomes, reverenciando Bibi Ferreira como atriz diva maior do teatro brasileiro! E vejam bem: era Fernanda quem dizia isso, e quando se trata da Montenegro a coisa tem outro peso! A homenagem a Bibi foi muito bonita. Outros atores interpretaram músicas cantadas por ela em musicais, como Gota d’água. Havia uma dúvida se Bibi compareceria ou não. E quando ela enfim entrou em cena, vital, maravilhosa, foi aquele frenesi. Aplausos, entusiasmo, emoção! E Bibi, aos 88 anos, rolou e deitou como vera diva que é. E de quebra ainda cantou um trecho da épica Gota d’água

Era esperada a presença confirmadíssima do prefeito Eduardo Paes. Mas eis que, no lugar dele, entra em cena o secretário de Cultura Emilio Kalil, justificando que a cidade, naquele momento, enfrentava uma tempestade de grandes proporções e o prefeito estava no Centro de Operações supervisionando todos os trabalhos…

Um frio correu pelas espinhas gerais. Como, lá dentro, naquela alegria toda, ninguém sabia da chuvarada, imediatamente começaram as preocupações: “Será que vou conseguir táxi para voltar?”, se perguntou Maria Pompeu. Porém, passada a cerimônia, houve um coquetel e todo mundo chutou pro alto os receios e deixou os salgadinhos lhes levar até a hora S, hora da Saída

O encerramento daquela noite de red carpet, para Maria Pompeu, foi assim: sem conseguir táxi, debaixo do dilúvio, caminhando a pé pelo Largo da Carioca, até chegar à estação do Metrô e pegar o último trem, 10 para meia-noite, e, como a Estação Xavier da Silveira já estivesse fechada, descer na Praça Eugenio Jardim e fazer, ainda sob a chuva, todo o percurso até sua casa, pingando, pingando, e se sentindo uma sobrevivente, já que venceu tantos obstáculos, mesmo depois da queda recente, da qual ainda se recupera. E viva a Maria!…

Fotos de Cristina Granato

aptr1 Uma noite de gente de teatro, como deve ser

Os secretários de Cultura do Rio de Janeiro: Adriana Rattes, estadual, e Emilio Kalil, do município

aptr3 Uma noite de gente de teatro, como deve ser

Cissa Guimarães, apresentadora da noite do 5º Prêmio APTR, e o pianista soberbo João Carlos Assis Brasil

aptr6 Uma noite de gente de teatro, como deve ser

O crítico Flavio Marinho cercado por Guida Vianna, Totia Meirelles (duas concorrentes ao prêmio de Melhor Atriz) e Betina Viany

aptr13 Uma noite de gente de teatro, como deve ser

Edgard Duvivier e Maria Clara Gueiros

aptr12 Uma noite de gente de teatro, como deve ser

Norma Thiré e Eduardo Barata

aptr5 Uma noite de gente de teatro, como deve ser

O Melhor Ator Marco Nanini (o apresentador da noite Fernando Eiras ao fundo)

aptr11 Uma noite de gente de teatro, como deve ser

A Melhor Atriz Julia Lemmertz, filha da inesquecível Lilian Lemmertz

aptr14 Uma noite de gente de teatro, como deve ser

A loura Maitê Proença e sua coroa de louros

aptr8 Uma noite de gente de teatro, como deve ser

Papo de plateia: Antonio Fagundes, que concorria ao prêmio de Melhor Ator, Alexandra Martins, Edney Giovenazzi e Julia Lemmertz

aptr9 Uma noite de gente de teatro, como deve ser

Eduardo Barata, fundador e presidente da APTR, cercado pelos premiados da noite

aptr4 Uma noite de gente de teatro, como deve ser

O grande momento da noite no Carlos Gomes: Fernanda Montenegro exalta e aplaude Bibi Ferreira, que bate palmas para Fernanda. As duas divas maiores dos nossos palcos, sendo que Bibi, além de atuar de modo extraordinário, canta divinamente

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *