Satyricon em Los Angeles

Beth Winston saiu de Los Angeles mas Los Angeles não abandonou Beth Winston. Daí que, arrumadíssima, digna dos melhores endereços de Beverly Hills, a bordo de uma belíssima bolsa Kelly da Hermès, penteada por Esmell, com make de Ronald Pimentel, ela reuniu para um daqueles almoços sensacionais no Satyricon, mesa redonda em que estavam Beth Serpa, Carmen Mayrink Veiga, Dino Trapetti, esta Hildezinha e a cadeira vaga da Idinha Seabra, que se confundiu na agenda, pensou que fosse hoje. A horas tais, toca o celular da Beth Serpa e era o Heckel Verri. E o que descobrimos? Que todas tínhamos alguma coisa dele. Carmen vestia-se inteira de Heckel. Da Serpa, as correntes e os sapatos. Da Winston, também os pisantes. Idem, os meus. Porque os clássicos sapatos do Heckel são acessórios fundamentais. Muito vinho branco gelado, aquela bandeja giratória de frutos do mar frescos sempre reposta diante de nós, o peixe ao sal servido com risoto de limão (e Beth Serpa, que não come bicho nenhum, foi só de risoto) e a conversa que não acabava mais. Assim rolou a tarde deliciosa proporcionada por La Winston, abrindo a alta temporada de eventos natalinos, pois, agora, meus amores, sai de baixo, porque pra dar conta dos convites de dezembro, só com muito preparo físico!…

BETH WINSTON  LOURDES CATAO  Satyricon em Los Angeles

Beth Winston, à la Beverly Hills

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *