Manoela Ferrari escreve e ama nas entrelinhas…

Manoela Ferrari, que nós conhecemos do doce convívio nos eventos sociais cariocas, lança, na segunda-feira, na Travessa do Shopping Leblon, seu primeiro livro, Entrelinhas. E a alegria por escrevê-lo foi tanta que ela já tem dois outros em andamento: Entrelaços e Entrelugares
Jornalista de formação, a capixaba Manoela Ferrari voltou à ativa depois da separação, há três anos, de Eduardo Colombo, pai de seus dois filhos, e atualmente é free-lancer do Jornal das Letras e assessora de projetos pedagógicos no Instituto Antares de Cultura. Não bastasse tanta coisa, também é catequista voluntária no Dispensário Santa Teresinha e, se bobear, ataca ainda de pianista clássica, pois formação para isso tudo ela tem, filha de uma professora de piano com um jornalista que é…
Com prefácio do imortal Luiz Paulo Horta, capa e projeto gráfico de Isio Ghelman e ilustrações de Zé Roberto, o livro, editado pela Consultor, consiste em 34 “narrativas breves”, fruto do projeto final da Faculdade de Letras da PUC, onde Manoela se formou ano passado com grau máximo. São poesias, contos, ensaios e crônicas, numa escrita que quase sempre sugere sem explicitar, daí o título Entrelinhas. Ela explica: “Meus textos só existem por causa das entrelinhas. Não sei escrever sem me esconder nelas”. Mas é bem explícita em sua dedicatória aos pais, aos filhos e ao Espírito Santo: “É a trinca sagrada que me sustenta ao longo da caminhada nesta vida”…
Porém, quando perguntamos pela vida amorosa, Manoela volta a se refugiar nas entrelinhas: “Posso dizer que meu coração voltou a bater (muito) feliz!”. E acrescenta uma pista: “O lançamento no Dia de Santo Antonio, 13 de junho, não é por acaso, como nada em minha vida é”…
manoela ferrari1 Manoela Ferrari escreve e ama nas entrelinhas...
Manoela Ferrari
(Foto de Sebastião Marinho)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *