Hélio Oiticica, Jimmy Hendrix e Jorge Salomão de sunga

A cena era para acontecer nos anos 70, com Hélio Oiticica protagonizando uma encenação criada pelos irmãos Andreas e Thomas Velentin, em plena Praia de Ipanema. Como não foi possível, o lance vai rolar agora, numa homenagem ao artista, durante o encerramento da exposição Hélio Oiticica: O Museu é o Mundo, no Museu da República de Brasília, domingo…

O poeta Jorge Salomão vai fazer o papel de Oiticica na performance Call Me Helium e lerá o texto Experimentar o experimental, do artista. Na apresentação, Salomão usará uma sunga prateada, salto alto e uma camisa com a inscrição “Eu sou Hélio Oiticica”. O fundo musical será com músicas de Jimmy Hendrix. Ao mesmo tempo, balões vão subir com faixas escritas “Call Me Helium”…

A história que envolve tudo isso é bem interessante e eu vou contar para vocês, queridos. Em 1974, os irmãos Valentin compraram pelo correio um balão meteorológico inflável vermelho, anunciado no New York Times, e decidiram criar um evento/performance que aconteceria na Praia de Ipanema, próximo ao Pier que seria desativado naquele ano…

Call Me Helium foi o primeiro nome que surgiu nas cabeças de Andreas e Thomas. Seria uma espécie de homenagem ao Hélio, que morava então em Nova York. Por que a frase? Bem, um ano antes de morrer, Jimmy Hendrix concedeu uma entrevista em que dizia que “adoraria que as pessoas ficassem menos griladas, porque há hoje em dia músicas pesadas demais. A música está ficando muito pesada, quase que num nível intolerável. Quando as coisas estiverem pesadas demais, chamem-me de hélio que é o gás mais leve que se conhece”…

E assim foi bolada a performance, que agora será apresentada por Jorge Salomão. A obra foi desenvolvida durante meses, através de várias trocas de cartas com HO, até chegar ao formato original, em que o balão seria içado na praia num domingo, com os dizeres Call Me Helium e a participação de outros artistas…

Acabou não acontecendo em sua concepção original, mas no ano seguinte a obra foi aceita no Salão de Verão do Museu de Arte Moderna do Rio, com o balão e os textos expostos em painéis. Portanto, o trabalho que será visto dia 13 é uma obra inédita, com participação de Hélio Oiticica

O artista, além de estar sempre atento ao que lhe propunham, acrescentava frequentemente informações e solicitava a ajuda de outros. O arquivo de informações, portanto, é riquíssimo, até mesmo porque essas trocas de impressões eram feitas por cartas…

No fim do mês que vem, a exposição estará em Belém e Salomão a apresentará durante a abertura. E, em abril, vai rolar na Praia de Ipanema. Não vou perder e vocês certamente também não…

Jorge Salomão1 Hélio Oiticica, Jimmy Hendrix e Jorge Salomão de sunga

O poeta performático Jorge Salomão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *