Em respeito a N. Sra. da Glória

No meio do caos e da devastação total do Vale do Cuiabá, um prédio se manteve intocado: a igrejinha de Nossa Senhora da Glória do sítio de Carlos Alberto Serpa. Todas as casas do sítio foram inundadas – o pavilhão, a sauna romana, a adega maravilhosa, a antiga casa sede, a nova casa decorada com móveis da Artefacto, os pavilhões de visitantes – mas a igreja resistiu a tudo. Ou melhor: as águas só chegaram a tocar o primeiro degrau e por ali pararam respeitosas…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *