Eike agora tem também um time de vôlei só dele

Com o Maracanãzinho quase lotado, houve ontem a primeira partida-exibição do time milionário masculino de voleibol, o RJX, do empresário Eike Batista. O jogo marcou a entrada do grupo EBX, no mercado esportivo. O voleibol masculino do Rio de Janeiro, que já revelou tantos talentos para a Seleção Brasileira, não tem no momento sequer um time na principal competição do esporte no Brasil, a SuperLiga de Voleibol. Depois do futebol, o vôlei é o esporte mais querido do país…

O RXJ tem na camisa as cores do Rio de Janeiro, azul e branco, e contratou craques da atual Seleção Brasileira, como Dante, Marlon e Theo. Dez mil pessoas, todas uniformizadas com as camisetas distribuídas pelo RJX, receberam com extremo carinho os jogadores, tanto os da RJX como os seus adversários do Cimed / Sky, com Giba, Gustavo e Bruno Resende, também da Seleção Brasileira

O Maracanãzinho foi cedido para ser o local dos treinos dos times, que já se familiarizaram com a nova casa e com o carinho da torcida. Na tribuna de honra, Eike, vestindo a camisa do time, recebia seus convidados. Nas costas da camisa, o número 63. “É meu numero da sorte”, ele dizia. No jogo do bicho, o 63 é o Leão. E se Eike é o leão, a sua leoa, Flavia Sampaio, estava linda ao seu lado, mas toda de vermelho, cor do outro time. “Vesti vermelho para homenagear o adversário”, brincava . Brincadeira ou não, Flavia é pé quente: o Cimed /Sky venceu por 3×2. Jogo duro. Uma emoção para os torcedores…

Na tribuna de honra, Ary Graça, presidente da Confederação Brasileira de Voleibol, a secretária de Esporte e Lazer do Rio de Janeiro, Márcia Lins, o secretário de Transportes, Julio Lopes, e o presidente interino do Flamengo, Hélio Paulo Ferraz. Um interino pé de coelho, pois não é a primeira vez que Hélio Paulo está como presidente e o time dá uma arrancada. O assunto da tribuna era a vitória espetacular do Fla sobre o Santos

No intervalo do primeiro set ganho pelo RJX, foi feita homenagem ao ex-capitão da Seleção Brasileira de Vôlei, Nalbert Bittencourt, último carioca a integrar o time titular do Brasil e ganhar a medalha de ouro olímpica. Nalbert jogou em todo o primeiro set, mostrando que ainda está em muito boa forma…

Agora é aguardar a SuperLiga e torcer pelo único time carioca de vôlei, o RJX, cujo projeto custou R$ 12 milhões, sendo que o jogador Dante foi o primeiro atleta do vôlei nacional a ganhar pela temporada um milhão de reais, o que mostra como o mercado é promissor…

O autor do projeto do novo time e técnico da Seleção Brasileira, Bernardo Resende, não foi ao Maracanãzinho porque estava em São Paulo, com seu sócio, Alexandre Accioly, decidindo detalhes da inauguração da Body Tech paulistana. Mas sua mulher, Fernanda Venturini, era vista na tribuna de honra…

Fotos de Sebastião Marinho…

Maracanãzinho 5509 Eike agora tem também um time de vôlei só dele

Flavia Sampaio, Eike Batista e a secretária estadual de Esporte e Lazer, Márcia Lins

Maracanãzinho 5454 Eike agora tem também um time de vôlei só dele

Eike entrando na quadra com a secretária Márcia Lins

Maracanãzinho 5470 Eike agora tem também um time de vôlei só dele

Eike Batista com seu time RJX e a secretária Márcia Lins

Maracanãzinho 5557 Eike agora tem também um time de vôlei só dele

O atleta Nalbert, com a filha Rafaela Bittencourt no colo, recebe placa de homenagem do presidente da Confederação Brasileira de Vôlei, Ary Graça

Maracanãzinho 5566 Eike agora tem também um time de vôlei só dele

O time RJX em ação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *