E Mariza chorou…

Ruy Barreto, que é de Muriaé, onde José Alencar viveu tanto tempo, foi com Rosa Maria para a missa de 7º Dia (na verdade de 12º Dia) do ex-vice-presidente, na Catedral da Sé superlotada, sábado passado, em São Paulo. E voltaram particularmente encantados com a participação das crianças na cerimônia ao som de gregoriano, que podia ser acompanhado por todos em um folheto. Coube às netas de Alencar e Mariza entrar no ofertório; ao neto, Ricardo, ler as preces da comunidade, e ao neto caçula, Davi, fazer a primeira leitura. Com 10 de idade, ele surpreendeu pela ousadia de enfrentar aquela igreja cheia e também pelo sotaque carioquês, já que não mora nem nunca morou no Rio e sua mãe, Maria da Graça, fala o típico mineirês. Pesquisa daqui, pesquisa dali, acabaram descobrindo que, o sotaque carioca, o menino aprendeu com a fonoaudióloga e o professor de Jiu-jitsu…

Ao final da missa, o filho, Josué Gomes da Silva, falou, em nome dele e das irmãs, agradecendo ao povo brasileiro e agradecendo à Mariza pela sua dedicação absoluta a José Alencar durante os 14 anos de luta contra o câncer. Ela chorou…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *