Dedo de Deus

Causou arrepio na alta sociedade brasileira assistir pela TV aos homens da Polícia Civil, todos de preto, descerem do helicóptero, fazendo rapel, armados até os dentes, com metralhadoras, e invadirem a “luxuosa cobertura triplex”, na Avenida Atlântica, hoje pertencente ao bicheiro Anísio Abrahão David. Era a “Operação Dedo de Deus”…

Era ali que Lily e seu amado Roberto Marinho recebiam para suas festas memoráveis de Réveillon, sempre black-tie, as mulheres com belíssimos vestidos de baile e joias, os homens de summer. Havia orquestra, o chef Laurent fechava seu restaurante no Rio e, depois, o de São Paulo, especialmente para vir preparar a ceia maravilhosa. Os convites eram disputadíssimos. Todos os convidados tinham direito a “passes livres” cedidos pela Prefeitura para circularem com seus carros pela Avenida Atlântica interditada naquela última noite do ano. Ministros, embaixadores, grandes empresários, o top do Brasil e até do mundo passava por lá. Vi gente que até o Dedo de Deus duvidaria: do recém-eleito presidente da República Fernando Henrique Cardoso aos duques de La Rochefoucauld

Muitos embaixadores do Brasil no exterior, quando estavam prestes a se aposentarem deixando a carrière, estabeleciam os melhores contatos sociais no Rio nessas festas de 31 de dezembro dos Marinho, pois estar lá significava ser um “insider social”. Enfim, ir àquela cobertura do casal, que a mantinha fechada o ano inteiro e só a abria em dezembro para a festa da passagem do ano, era um atestado de bons antecedentes sociais, um diploma de “personagem de alto nível”…

Neste dezembro de 2011, porém, os “Papais Noel”, de preto e encapuzados, que vimos baixando na “chaminé” daquela cobertura da Atlântica, ex-apartamento de Roberto Marinho, em nada recomendam a frequência no endereço…

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *