Banqueiro Setubal sinaliza, na abertura da SP-Arte: invistam na 1ª metade do século 20!

A abertura ontem da oitava SP-Arte levou ao Pavilhão da Bienal, no Parque Ibirapuera, na sua noite para convidados, pelo menos três mil pessoas, entre colecionadores, artistas, curadores. O mundo das artes plásticas compareceu in totum para ver as novidades da maior feira de artes plásticas da América Latina, que este ano acontece com um desafio de responsa: bater o volume de vendas da Rio Arte que, em sua primeira edição no ano passado, superou a 7ª SP-Arte…

Não será por falta de vips. Afinal de contas, a SP-Arte contou em sua abertura com o grande Superstar de nossa Arte Contemporânea, ninguém menos do que o artista Waltercio Caldas, que não faz o perfil glamouroso e fosforescente, até deslumbrado, de muitos contemporâneos que emergiram na última década…

Com um trabalho sólido, amadurecido, do final dos 60’s aos dias de hoje, sossegadamente, na quietude de seu ateliê, praticamente falando em código com os poucos que entendem as cordas de sua sensibilidade (um desses companheiros de vida toda é o Miguel Rio Branco),Waltercio, que eu chamo de Wal desde nossos tempos de jovens amigos, chegou ao patamar máximo do reconhecimento e lá se manteve…

E ele estava na abertura da SP-Arte, festejado por todos, cumprimentado, elogiado. Obviamente não por aqueles que se guiam somente pelo estardalhaço da mídia, pois esses conhecem apenas os contemporâneos de ocasião… risos…

Hoje, Waltercio Caldas é considerado um artista do primeiríssimo time internacional. Produz pouco, vende tudo e com valores merecidamente altos. Reunindo ainda as qualidades de bom e generoso amigo. O seu reconhecimento artístico e comercial não está restrito às nossas fronteiras. Ganhou o mundo. É um dos artistas contemporâneos mais cobiçados pelo chamado mercado de artes. Esse ano, fará duas exposicões no exterior: nos EUA e Londres

Aqui no Brasil, ainda neste maio, acontecerá na Mul.ti.plo mostra com todos exemplares dos múltiplos (que W.Caldas cuidadosamente guardou) desde os anos 70 até agora. Ele está criando um exclusivo para a galeria, além do lançamento de um novo Livro-Arte de sua autoria. Waltercio é um dos nossos grandes!!!…

Gilberto Chateubriand e Heitor Reis1 Banqueiro Setubal sinaliza, na abertura da SP Arte: invistam na 1ª metade do século 20!Gilberto Chateaubriand, o primeiro grande colecionador a adquirir um Waltercio, e Heitor Reis nos corredores da SP Arte na noite de convidados. Heitor, que já dirigiu o MAM de Salvador, no Solar do Unhão (e sua competência testemunhei de bem perto), agora comanda com alguns sócios um fundo de investimento com foco nas artes plásticas brasileiras, Brazil Golden Art…

“Aqui no terceiro andar tudo tem um ar mais fresco de novidades, lá embaixo já conheço tudo”, falou o colecionador Gilberto Chateaubriand, que, com seus 80 anos, rodou por todas as galerias. Se por um lado as novidades contemporâneas atraíam mais compradores, o banqueiro Alfredo Setúbal, um dos patrocinadores da feira, ficou estacionado todo o tempo na galeria do paulista Paulo Kuczynski, admirando os artistas da primeira metade do século 20, Guignard, Pancetti e, em especial, uma escultura de Victor Brecheret. Porque o que é realmente de qualidade tem sempre valor, aprendam com o banqueiro

Houvesse mais stands com Guignards, Pancettis e Brecherets, a SP-Arte, certamente, teria encantado ainda mais ao seu banqueiro patrocinador…

Alfredo e Rose Setúbal Banqueiro Setubal sinaliza, na abertura da SP Arte: invistam na 1ª metade do século 20!Alfredo Setubal investe na primeira metade do século 20, e Rose Setubal, colecionadora experiente, visita a feira de salto baixo

Este ano, a feira ampliou mais um andar para as galerias e ganhou mais galerias do exterior e também de outros estados. Bahia, Paraná, Pernambuco, Rio Grande do Sul. Inglaterra, Estados Unidos, Espanha, Portugal, Chile, Suécia, Alemanha e Japão. Todos em São Paulo, atrás dos compradores ávidos pela novidades e oportunidades no mercado da arte brasileira…

Os andares do Pavilhão foram divididos em segmentos da arte e a organização tentou assim promover um diálogo entre artistas e galeristas. Houve algumas derrapadas, mas no final salvaram-se todos. Pelo menos, por enquanto. Diferente dos outros anos, quando o mercado estava demasiadamente aquecido, neste 2012 os bolsos dos compradores deram uma esfriada e os preços altos fizeram com que os artistas novos fossem os mais vendidos…

Waltercio Caldas, Cildo Meireles,Tunga, Antonio Dias, Carlos Vergara são nomes cada dia mais valorizados, praticamente impossíveis de se conseguir comprar. Hoje, poucos podem pagar seu custo. Quem tem um, que segure o seu! Beatriz Milhazes continua a ser o nome da vez, com o preço mais elevado. Na feira, um quadro dela, na galeria Almeida&Dale, chegava a quase três milhões de reais…

As galerias do Rio de Janeiro levaram o que têm de melhor e estavam superlotadas, pois, afinal, a afluência de visitantes cariocas na feira é imensa, formando um mix simpático, numa babel de multilinguagem e de multi-socialitagem, temperada por muitos jovens executivos engravatados do mercado, chegando em bandos, e por muitas bolsas Birkin, de todas cores e texturas, como a Birkin preta de croco da Ana Elisa Setúbal…

Porém, o grande diferencial, que denunciava who is who naquele mundo das artes, eram os sapatos. As experimentadas estavam devidamente calçadas com sapatilhas, mocassins de salto baixo, sapatos oxford, até tênis, para poderem caminhar bastante. Já as desavisadas capricharam no saltão, para tristeza e desconforto dos pés, esses eternos sofredores. Porém nada que uma boa taça de champagne geladinho, que os galeristas se apressavam a oferecer, não fizesse esquecer num instante…

Patricia Fainziliber e Alessandra Modiano Banqueiro Setubal sinaliza, na abertura da SP Arte: invistam na 1ª metade do século 20!Patricia Fainziliber, colecionadora, calçou sapatilhas para correr a feira todinha, e Alessandra Modiano, expositora, calçou saltinho para receber no stand da Sprovieri Gallery, em que ela trabalha em Londres, de onde veio especialmente para a SP-Arte. Ela é filha do empresário Eduardo Modiano, neta da Liliane e do Umberto, gente com o empreendedorismo a correr nas veias…

Silvia e Juliana Cintra Banqueiro Setubal sinaliza, na abertura da SP Arte: invistam na 1ª metade do século 20!

A galerista carioca Silvia Cintra e Juliana Cintra

Iara Jereissati Banqueiro Setubal sinaliza, na abertura da SP Arte: invistam na 1ª metade do século 20!

Esta lindíssima mulher, vocês conhecem, já viram aqui, é a Iara Jereissati, a primeira-dama do Shopping Iguatemi São Paulo, que organizou caravana só com mulheres poderosas, para circularem na feira com direito a guia, indicando o que se ver, onde parar e quando comprar…

Vitória Raggio Hime Banqueiro Setubal sinaliza, na abertura da SP Arte: invistam na 1ª metade do século 20!

Vitoria Raggio Hime, outra colecionadora carioca vista circulando pelos corredores da SP-Arte

Fernanda Basto Georgiana Richter Paula Nabuco1 Banqueiro Setubal sinaliza, na abertura da SP Arte: invistam na 1ª metade do século 20!

Entre as cariocas circulantes, comentava-se a gravidez de Antonia Galdeano e Renato Jerusalmi, as botas acima dos joelhos de Angela Rocco (as de Fernanda, vejam, eram abaixo dos joelhos), o preço da coleção de borboletas e cristais de Damien Hirst (um milhão de libras!) e o impressionante número de móbiles de Alexander Calder, todos parecendo recém-saídos do atelier do artista… Ah, elas falavam também da aula de elegância e estilo de Christiana Neves da Rocha, mas isso é falar obviedade, vocês sabem…

sp arte Banqueiro Setubal sinaliza, na abertura da SP Arte: invistam na 1ª metade do século 20!

Fotos de José Ronaldo Müller

—————————————————————————————

Concurso Vestido de Noiva Banqueiro Setubal sinaliza, na abertura da SP Arte: invistam na 1ª metade do século 20!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *