As memórias de Boni

José Bonifácio de Oliveira, o Boni, dá as tintas finais ao seu livro de memórias – “Apenas as memórias profissionais”, ele faz questão de enfatizar – que deverá ser lançado no ano que vem, em março pela editora Leya/Casa da Palavra. Histórias de bastidores, revelações sobre a TV brasileira e, sobretudo, a TV Globo, mas nada que comprometa ou constranja qualquer das pessoas citadas, ele me disse. Entre os assuntos abordados, estão as novelas da “Era Boni”. E, nas páginas do livro, ele vai declinar suas 20 mais. Posso adiantar que Selva de pedra, de Janete Clair, e O Bem Amado, de Dias Gomes, estão nessa relação. Já a badalada O casarão, de Lauro César Muniz, está fora da lista das preferidas do big boss da fase de ouro da Rede Globo

O grande sedutor, que conseguiu dobrar Boni e fazê-lo sentar e escrever sobre sua vida, foi Ricardo Amaral, que agora empresta seu talento também à atividade de coordenador editorial…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *