AGORA SIM: UMA FEIRA DE ARTE CONTEMPORÂNEA ACESSÍVEL A TODOS OS BOLSOS

Para quem se assustou e considerou estratosféricos e megalômanos os preços na recente Art-Rio, aí vai uma notícia boa…

O produtor cultural Alexandre Murucci preparou e investiu com todo o carinho em uma feira de arte contemporânea para todos os bolsos, a Artigo Rio, que permanece até domingo no  Centro de Conveções Sul America, logo ali na Cidade Nova

São 27 galerias do Rio e de outros estados, vendendo obras de artistas do mercado nacional, possibilitando uma boa garimpada, para quem quer achar bons investimentos. Chance de descobrir novos artistas, de encontrar trabalhos de nomes consagrados em diferentes suportes e até de interagir com a arte…

O galerista Artur Fidalgo, por exemplo, forrou o seu stand com papel de parede do artista Fernando De La Rocque, onde todos podem pintar o kama sutra do artista…

No stand de Horácio Ernani há trabalhos antigos de Daniel Senise e desenhos de Artur Barrio. Boa oportunidade para fazer um bom negócio. É só garimpar com cuidado. E bom tampém para educar o olhar…

Fotos Divulgação

3 ideias sobre “AGORA SIM: UMA FEIRA DE ARTE CONTEMPORÂNEA ACESSÍVEL A TODOS OS BOLSOS

  1. Hilde morrendo de saudades das noticias do high, mas do verdadeiro high, safra “grand cuveé”, cheio de Mayrink Veiga, Guinle, Chermont, Gouthier, Bandeira de Melo, Barros Barreto, Paranagua, Catão, Gouvea Vieira, Nabuco, Orleans e Bragança… esse povo todo n anda mais n eh, n sai mais de casa, entro aqui tds os dias avido pra ler aquelas suas cronicas deliciosas, sobre os jantares, chazinhos, fofoquinhas dessa gente, e nada, pelo menos nos ultimos tempos. Ou sera que to desatualizado sem saber que coluna social hj em é diferente, perdeu aquele tom proustiano e está mais ligada a assuntos corporativos, de grandes empresas e marcas. Mas pelo menos vc é diferente -ou era-, fazia gosto entrar aqui, mas hoje em dia… Talvez oq falte mesmo ai no Rio seja materia prima para as colunas, mas falo de materia prima de primeira, do tipo Carmens, Jorginhos, Elisinhas, Babys, Lilys… Apesar de ser bem jovem, nao nascido ai no Rio -porem louco pela cidade-, e tbm de nao pertencer a esse mundo delicioso, diga-se, me atrevo a dizer: esse é que era tempo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *