A carta de Elzinha, a primeira mulher de José Wilker

Recebi de Elza Maria Pinto, a noiva e primeira mulher de José Wilker a carta que transcrevo abaixo com minha resposta. Achei que poderia interessar a vocês…

Hilde,

Quero agradecer sua delicadeza comigo.
Estou emocionada com seu texto.
Conheci Wilker em 64, casei em 74, e o divórcio foi em 77. Portanto, você tem razão. Foram vários anos através dos quais tive o privilégio de conviver com ele. Poucas pessoas sabem disto, e fiquei surpresa com sua memória.

Ainda não estou em tempo de escrever sobre Wilker. Espero chegar lá em breve.
Por enquanto estou apenas recuperando as memórias perdidas ao longo destes anos. Através dos amigos dos tempos difíceis, como você.

Fiquei feliz por ver como você se lembrou do lado brechtiano de Wilker, tímido em relação às próprios sentimentos. Suas emoções muitas vezes eram enigmas que a gente precisava adivinhar por outros meios, não verbais. Um gesto de carinho, um olhar maroto, o jeito do corpo se expressar sem palavras. Flores e poesias…

Foi muito bom relembrar “A Mãe”.
Acompanhei todo o processo de aflição/criação de Wilker naquela época.
Lembra como ele foi parar no hospital, no dia da estreia? Plateia cheia, e ele passando mal. Seu corpo emocionado expressava uma angústia sobre a qual ele não conseguia falar. Vocês quase não estreiam.

Um abraço, com muito carinho e saudades.

Elza Maria

Minha resposta:

Oh, Elzinha,
Que delícia sua manifestação!
Nada como uma boa psicóloga, sobretudo uma mulher que foi realmente apaixonada como você, para traçar um perfil complexo como o do Wilker com tamanha clareza.
Quem me lembrou do episódio angustiante da estreia de “A Mãe” foi Francis, meu marido, que na época era meu namorado. Foi ele quem socorreu, levou Wilker para o hospital, onde seu primo, o médico Levon Bogossian, estava atendendo. O diretor Claude Régy literalmente deixou o elenco “pirado”, como se usava dizer. Quase não estreamos, mas estreamos, e o Wilker esteve absolutamente fantástico.
Beijos e esteja bem e feliz,
Hilde

( vide também os posts O José Wilker que eu conheci de perto e O casamento de José Wilker que a imprensa não contou e você não soube, aqui com foto e tudo)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *