Um Sahara na Vieira Souto

Você mede o sucesso de um lugar quando ele passa a ter a chamada zona do agrião, onde todo mundo quer estar e o resto é o resto. Nos anos 7o, chamavam a zona “fria” de um restaurante ou casa noturna de “Sibéria”. Sentar ali era mesmo uma gelada, ninguém queria. Como as casas faziam tremendo sucesso, viviam abarrotadas, e essas informações ficavam restritas a um grupo de bem informados da night, o fato de a casa ter “Sibéria” não a prejudicava comercialmente, pois os incautos sentavam-se por ali na maior das inocências e se sentiam totalmente inseridos…

Pois bem, o Vieira Souto, na Avenida de mesmo nome, é o restaurante agradável para se ir almoçar nos dias ensolarados de fim de semana, principalmente para quem não quer enfrentar o trânsito pra Barra. E a pequena sala da frente é, definitivamente, a zona quente, o “Sahara” da casa, com aquele seu vistão espetacular para a Praia de Ipanema. Ontem, havia ali uma mesa redonda em torno do simpático casal Lilian e Heitor Gurgulino, vindo de Brasília. Credite-se o tom de voz um pouco mais elevado do grupo às histórias ótimas e divertidas, ao vinho e à audição de alguns, que já não é mais essas Brastemps…

Em mesa ao lado, de dois, no mesmo “Sahara”, conversavam baixinho as elegantes Nícia Maria Valente Dantas e sua filha, Veronica Müssnich, chegando de Paris, onde houve um jantar pelo casamento de sua filha, Gisela Rodemburgo, com o Micael Niedzielski, filho de Claudia e Cyrill, neto da embaixatriz Laís Gouthier. Foi para os amigos parisienses dos Niedzielski conhecerem a noiva e sua família, no mesmo espaço de festas Hôtel de la Païva, na Avenue des Champs-Elysées, onde se casaram o barãozinho de Waldner, Édouard, e Manuela Sève. Eles trabalham e moram em Londres

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *