RESPOSTAS A TODAS AS GRANDES FALÁCIAS DOS QUE DEFENDEM O LEILÃO DO CAMPO DE LIBRA

É chegado o dia. Que poderá mesmo ser chamado de o Dia do Luto Nacional, caso se confirme a realização do Leilão do Campo de Libra. Todo o aparato, até bélico, foi montado para isso na Barra da tijuca, o que acompanho com profunda tristeza e imenso desapontamento. O dia em que nossa pátria entregará o Maior Campo de Petróleo da História do Mundo às mãos estrangeiras.
Lutei o que pude, esperneei o que consegui. Passei o fim de semana combatendo o que considero o bom combate através de minhas armas, a escrita, as mídias sociais, o futuro há de ser testemunha. Espero que com um bom termo, que minhas orações alcancem acolhida e, à última hora, haja uma reviravolta e, em nome dos apelos e do bom senso, a presidente Dilma suspenda esse Leilão rejeitado por parte significativa da sociedade.
Nesses momentos finais, recebi texto elucidativo sobre várias dúvidas levantadas a respeito do Leilão do Campo de Libra, criadas mais no intuito de nos confundir, por aqueles que buscam justificar o injustificável: a entrega aos estrangeiros de um bem nosso, o maior campo de petróleo da História do Mundo, possibilidade de um bom futuro para a nossa juventude.
O autor do texto esclarecedor é o combativo  Fernando Siqueira, vice-presidente da Associação dos Engenheiros da Petrobras – Aepet, que nos diz:
“Muitos equívocos têm sido cometidos pelo que mudaram de Lado e tentam justificar as suas novas posturas neoliberais com sofismas, manipulações ou falácias. Exemplos disto são o PT, o PCdoB o PDT e alguns jornalistas outrora bons”.
Siqueira relaciona as 7 falácias recorrentes mais repetidas pelos defensores do leilão, que ele repele e invalida com sua argumentação sólida de profundo conhecedor dos fatos, que testemunha de perto e por dentro durante toda a sua vida profissional.
Ele discorre:
“1) A falácia maior: “a Petrobrás não tem recursos para explorar Libra”.
Ora, um campo desta magnitude dá a qualquer empresa que for explorá-lo um imenso poder de tomar recursos fartos e baratos no mercado financeiro. Nenhum ativo é mais forte para garantir empréstimos do que o petróleo. O Governo Chinês está oferecendo às suas empresas os recursos para desenvolver Libra. O Governo brasileiro tem tirado da Petrobrás os recursos, obrigando-a a importar gasolina a R$ 1,72 e vender para as suas concorrentes a R$ 1,42 por litro. Isto fere a Lei 6404/76, das SA.
2) “O Governo vai ficar com 75 a 80% do petróleo de Libra”.
Outra grande mentira. Da Forma como foi feito o edital a União vai ficar com, no Máximo, 20,5% do petróleo. O resto ficará com o consórcio (ver item 4)
3) O ministro Lobão, em reunião com a Aepet no MME, disse: “o Governo não pode entregar Libra para a Petrobras porque ela tem acionistas privados, inclusive no exterior, em detrimento de 200 milhões de brasileiros”.
Mas a opção do Governo é muito pior, é a entrega de Libra às multinacionais que tem 100% das ações no exterior. A Petrobrás tem 48% com o Governo, 10% com fundos de pensão de trabalhadores e cerca de 3% com o FGTS de trabalhadores.
4) A turma petista que tenta justificar os leilões sem saber o que está falando: “o leilão de Libra é regido pelo contrato de partilha, que é muito melhor do que o de concessão”.
Falso. O edital de Libra é tão ruim que faz o contrato de partilha ficar igual ou pior do que a péssima concessão. Quando a produção por campo é maior que 95 mil barris por dia, na concessão aparece a Participação Especial que pode chegar 20%, que somados aos 15% de royalties, atingem a 35%. O edital de Libra pode levar a União a receber na faixa de 9,93 a 45,56% do Óleo/lucro, ou seja, aplicando estes percentuais à parte a ser partilhada – 45% – chega-se aos valores entre 4,5 a 20,5%. Somando-se a isto o royalty e IR, se tem valores entre 20 e 35%. Além do mais a União recebe em óleo só os 4,5 a 20,5. O resto é em moeda. No mundo, os países produtores recebem a média de 80% do petróleo produzido. Num campo já descoberto, o maior do mundo, é uma doação.
5) “A Pré-sal Petróleo SA, criada para fiscalizar as atividades de produção e evitar que as duas atividades passiveis de fraude, superdimensionamento dos custos de produção, e a medição a menor do petróleo produzido, vai garantir a lisura da produção”.
Falso. O presidente nomeado é o Osvaldo Pedrosa, primeiro brasileiro a defender o fim do monopólio do petróleo e ex-braço direito do David Zilberstajn na ANP de FHC. Um dos diretores é o Antonio Claudio sócio do lobista mor João Carlos de Luca, numa empresa recém criada. De Luca é o presidente do IBP, clube do Cartel do petróleo. São varias raposas peludas num único galinheiro.
6) O Bônus de assinatura de R$ 15 bilhões vai aumentar o lucro da União.
Falso. Esse bônus tem vários efeitos maléficos: i) dificulta a participação da Petrobras que, estrangulada pelo Governo, tem dificuldade de pagar agora R$ 15 bilhões e ficar com Libra sozinha; ii) o consórcio que ganhar, tendo que desembolsar R$ 15 bilhões à vista, irá reduzir o percentual do óleo-lucro para a União. E a cada 0,5% reduzido pelo consorcio na sua oferta, a União perde R$ 15 bilhões, ou seja, um bônus; iii) Governo Dilma precisa dos 15 bilhões para completar o superávit primário, pagar os maiores juros do mundo aos bancos e manter a sua credibilidade e se reeleger. Por um motivo eleitoreiro, sob um modelo econômico equivocado, se vende o futuro de três gerações.7) o Leilão de Libra vai garantir muitos empregos no País.

Falso. Se for vencedora uma estatal Chinesa, ela vai fornecer todos os equipamentos e vai criar empregos na China. Se for a Shell (favorita do Governo) vai gerar emprego na Europa e nos EUA. Quem compra, gera empregos e tecnologia no País sempre foi a Petrobrás, que, antes da onda neoliberal de FHC, chegou a comprar 95 no País.”

Assim encerra, Fernando Siqueira, seus oportunos esclarecimentos.
Meu coração brasileiro sangra. E onde estão nossos artistas e poetas neste momento, que nada cantam, nada declamam, não derramam sua indignação e fúria sobre as folhas de papel?

23 ideias sobre “RESPOSTAS A TODAS AS GRANDES FALÁCIAS DOS QUE DEFENDEM O LEILÃO DO CAMPO DE LIBRA

  1. Os nossos artistas e poetas nesse momento estão muito confusos preocupados com seus umbigos e com os salários cala-boca que recebem de emissoras e patrocinadores ……estao preocupados e tirando fotos com Dogs enquanto se matam pessoas em estádios … em casas noturnas….em bares….niguem fala nada de violência no Pais ninguem diz nada…..vao lá se preocupar com Petroleo …..Que se dane já ganham bem….pssssssss silencio!!!!!!

  2. quarta
    Jornal argentino diz o que aqui não querem ver: Libra é o Brasil se afastando dos EUA

    20 de outubro de 2013 | 16:40

    Graças à dica no comentário do “Companheiro Luís”, aqui no blog, posso trazer a matéria publicada hoje pelo jornal argentino Pagina 12, assinada por Dario Pignotti, que diz aquilo que a mídia brasileira está vendo também, mas não tem coragem, por seu subalternismo, de publicar.

    Diz que, amanhã, o noticiário eletrônico do Wall Street Journal e do Financial Times terão um dia agitado com as notícias sobre o leilão de Libra.

    “Mas, debaixo das notícias em tempo real que nos sufocarão nesta segunda-feira, à base de índices de ações e de corretores com seus pontos de vista de curto prazo , encontra-se uma história se passou nos últimos anos , cujo recordar ajuda entender o que está em jogo : um rearranjo de forças na geopolítica do petróleo”.

    E qual é a história que Pignotti narra?

    Conta que, em julho de 2008, Celso Amorim, nosso ministro das Relações Exteriores, recebeu um telefonema da chefe do Departamento de Estado dos EUA, Condoleezza Rice, pedindo que fosse recebida sem preocupações a notícia da reativação da Quarta Frota e sua passagem pelo Atlântico Sul. Fazia poucos meses da descoberta, em 2007, de grandes reservas de petróleo nas bacias de Campos e Santos, localizadas nas costas do Rio de Janeiro e de São Paulo.

    “Nem o chanceler Amorim, nem seu chefe, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, acreditaram na retórica suave do George W. Bush. Muito pelo contrário , houve alarme no Palácio do Planalto. Lula , Amorim e a então ministra Dilma Rousseff , que estava emergindo como um candidata presidencial, perceberam que a passagem da Marinha os EUA pela costa carioca seria uma demonstração de poderio militar sobre os mais de 50 bilhões de barris de óleo de boa qualidade guardados a mais de cinco mil metros de profundidade, numa área geológica conhecida como pré- sal”.

    Além de ir aos fóruns internacionais, diz o jornal argentino, era pouco o que o Brasil poderia fazer para, de imediato, ”enfrentar a supremacia militar dos Estados Unidos e sua decisão que a Quarta Frota , o braço armado das petroleiras de Exxon e Chevron , apontasse sua proa para o Sul.”

    “Lula e sua conselheira para Energia, Dilma , foram confrontados com um dilema: ou adotar uma saída mexicana – como o atual presidente Enrique Peña Nieto , que mostrou uma vontade de privatizar a Pemex , embora o termo usado seja “modernização” – ou injetar dinheiro para fortalecer a mística nacionalista Petrobras, para tê-la como vetor de uma estratégia para salvaguardar a soberania energética. Finalmente, o governo do Partido dos Trabalhadores ( PT) escolheu o segundo caminho e implementado um conjunto de medidas abrangentes”.

    Quais?

    “Capitalizou Petrobras para reverter o esvaziamento econômico herdado de (…)Fernando Henrique Cardoso e conseguiu aprovar, no final de 2010 una lei de petróleo “estatizante e intervencionista”,segundo a interpretação dada por políticos neoliberais e o lobby britânico-estadounidense, opinião amplificada por las empresas de noticias locais”.

    Além disso, prossegue o Pagina 12, reativou os planos de construção, com os franceses, de um submarino nuclear (“que avançou menos que o previsto”) e pleiteou nas organizações internacionais a extensão da plataforma offshore , a fim de que não se dispute a posse das bacias de petróleo, “além de promover a criação do Conselho de Defesa da Unasul , apoiado pela Argentina e Venezuela e sob a indiferença da Colômbia”. Firmou, também, contratos de financiamento com a China para a Petrobras.

    Diz o jornal que, enquanto isso era feito, a National Security Agency americana “roubava informações estratégicas do Ministério de Minas e Energia e diplomatas (dos EUA) em Brasília enviavam telegramas secretos a Washington classificando o chanceler Amorim como diplomata “antiamericano”.

    Garante o Pagina 12 que até três meses atrás,surgiram as primeiras notícias das manobras da NSA , a presidente queria evitar a ” radicalização ” da situação , “porque eu acreditava em uma reconciliação com os Estados Unidos, onde ele planejou viajar para uma visita oficial em 23 de outubro” . Mas a posição de Dilma “tornou-se irredutível em setembro ao saber que os espiões haviam violado as comunicações da Petrobras”.

    Apenas transcrevo o final da reportagem:

    “A decisão de suspender a visita a Washington, apesar de Barack Obama ter renovado pessoalmente seu convite, não não deve ser entendida como um simples gesto , porque suas consequências afetaram decisões vitais.

    O fato e não haver petroleiras norte-americana amanhã, no leilão do megacampo de Libra e sim de três poderosas companhias chinesas , dos quais dois são estatais, indica que a colisão diplomática teve um impacto prático.

    Fontes próximas ao governo terem deixado conhecer a formação de um consórcio entre a Petrobras e alguma empresa chinesa, revela que a geopolítica petroleira de Brasília se inclina em direção a Pequim, que é também o seu maior parceiro comercial.

    E se isso não fosse o suficiente para descrever a distância estratégica entre o Planalto e a Casa Branca, na semana passada indigesto ( para Washington ), ministro Celso Amorim, agora no comando da Defesa, iniciou conversações com a Rússia para discutir a compra de caças Sukhoi.

    Foi apenas uma sondagem , mas se essa compra é formalizada será um revés considerável para a corporação militar – industrial dos EUA imaginado vender caças SuperHornet ao Brasil, durante a visita que Dilma não vai fazer.”

    Que povo imaginativo, o argentino, não é?
    Por: Fernando Brito

  3. Infelizmente mais uma artimanha comandada pelo PT e seus coligadores. Facebook está suspenso para que não possamos utilizá-lo. Quero ver o que vai acontecer depois do leilão, as manifestações só irão aumentar e piorar. Barra da Tijuca com exército nas ruas !!!

  4. O que o Fernando Siqueira esquece de dizer é que boa parte dos que estão lutando contra o leilão são sindicalistas do PT, PCdoB e PDT que lutaram também pelo sistema de partilha e na época foram vitoriosos em suas propostas ao Governo. Agora esses mesmos sindicalistas estão em greve e lutando para que o Governo Dilma entenda a necessidade de discutir com a sociedade a forma de financiamento da Petrobras para exploração do pré-sal. Não havia necessidade de leilão…

  5. Temos que confiar na Presidenta do Brasil!
    O Pré-Sal tem que ser explorado o quanto antes, para tanto, precisamos de um parceiro que simultâneamente ponha dinheiro e desestimule qualquer ataque militar a essa nossa riqueza. É simples assim!

  6. Querida Hilde, torcendo com voce, e, daqui dos Estados Unidos, envio-lhe um grande abraco com muito carinho e solidariedade.Quando referi-me ao batalhao do exercito que a presidente mandou para a Barra, voltei aos anos 60 e, sei que para si PRINCIPALMENTE, a ferida e grande e dura demais. Que Deus continue dando-lhe muita forca e apoio.Se ela vender….ja teremos todos a resposta do que eu ja havia discursado antes.Bjs Tatiana

  7. Ah Hilde, por favor, todo esse malabarismo financeiro do Fernando (4,5 a 20,5, etc.), com o resultado obtido, pode não ser ótimo, mas é o melhor.

  8. Se fôssemos escolher uma trilha sonora para ilustrar com mais fidelidade o caso do leilão do Campo de Libra, que tal ” Inútil”, do Ultraje a rigor”? Boa, Roger. Trabalho de vidente.

  9. Que é isso, Hildegard? andas lendo e seguindo o PIG? como podes falar essas coisas? até parece que não recolheste as informações devidas. Há tanta boa informação, tantos bons escritores /as a respeito… como continuas defendendo as ideias da direita? A lei do Pré-sal foi votada pelo Congresso ainda no governo Lula, em 2009, com o sistema de partilha. Como é que ficas defendendo a direita? não percebes que é assim mesmo, com essas armadilhas que o PIG pretende ganhar a eleição do ano que vem? Eles sabem que há pessoas na esquerda fáceis deles cooptarem… parece que estás nesse rol.
    Pelo menos agora, depois do leilão, busca as informações corretas, por favor…

  10. Quero inicialmente dizer que tenho profundo respeito por ti e pelos teus, que são meus heróis. Tenho 65 anos e desde que me lembro participo das lutas da esquerda e dos democratas, desde o “petróleo é nosso” no colo de meu pai, até onde foi possível para mim, andar e doar-me pelo que se pode chamar de socialmente justo. Apesar de hoje não mais poder andar, a experiência de passar do tempo FHC para o tempo Lula /Dilma e suportar todas as tentativas de golpe para fazer o país retornar ao tempo da vergonha e da vilania tucana dotou-me de uma certeza. Alguns se acostumaram a conviver com o fracasso, se acostumaram com utopias. Minha postura, minha certeza é garantir Dilma presidente em 2014. Libra não é o pré sal, é só um campo. O pré sal é muito maior que isso. Mas Libra é a garantia de governabilidade e de continuidade das políticas de inserção social e econômica dos pobres por mais 5 anos. Consolidando conquistas que podem acabar em 2014. Petrobras sozinha explorando o pré sal iria distribuir lucros e dividendos em Wall Street e na Bovespa. No leilão o petróleo vai para a união, para gastar com o povo, não para acionistas. Mas não me considere traidor do povo porque defendo o leilão, não me considere tendo mudado de lado. Mas se assim o quiseres fazer é tua decisão, mas continuarei considerando os teus como meus heróis. Um abraço fraternal.

  11. Pingback: Maria Frô: Como a militância digital do PT perderá votos em 2014 | Áfricas - Notícia minuto a minuto

  12. De Rafael Patto:
    “Do Brasil se extraíram toneladas e toneladas de ouro. Não nos ficou nada. Aqui também se produziu muito açúcar. Toneladas e toneladas. Não nos ficou nada. Das toneladas e toneladas de café, também não nos ficou nada. Da borracha, idem. Toneladas e toneladas extraídas e nada de todo o dinheiro gerado foi revertido em transformação da realidade social do nosso país. Ao contrário, todos esses ciclos econômicos, cada um a seu tempo, do apogeu à decadência, representou a intensificação dos fatores de subdesenvolvimento que sempre nos assolaram, sobretudo no que diz respeito à divisão do trabalho e às formas de acesso à terra, ou melhor, de obstrução do acesso democrático à terra: o latifúndio.

    Com o petróleo e as gigantescas reservas do pré-sal, descobertas pela Petrobras revitalizada por Lula e Dilma, nós temos a oportunidade de romper com todo esse histórico colonialista e subdesenvolvimentista. Pela primeira vez na nossa história, nós iremos usar um recurso natural para impulsionar o nosso desenvolvimento, ao invés de simplesmente nos desfazermos dessa riqueza de maneira irracional como sempre fizemos.

    A pessoa que compara o leilão de hoje com as PRIVATARIAS de FHC deve ser alguém muito desonesto intelectualmente ou alguém com muita preguiça mental. “Nunca antes na história desse país”, um governo tomou tanto cuidado para assegurar que a nossa riqueza natural não fosse transferida para mãos estrangeiras. Diferentemente do ouro, do açúcar, do café, da borracha (e do minério, que eu ainda não havia mencionado e que foi dado praticamente de graça por Fernando Henrique ao capital privado internacional), O PETRÓLEO É NOSSO!!!

    VIVA LULA!!!
    VIVA DILMA!!!
    VIVA O PRÉ-SAL!!!
    VIVA A PETROBRAS!!!”

  13. “Der Spiegel” disse que o Brasil “vendeu um tesouro por uma pechincha”, com direito a tropas militares reprimindo sindicalistas, leilão de um único concorrente (=doação), e guerra de desinformação da tropa virtual tucana e petista (que são a mesma coisa). Jogo sujo, autoritário, antidemocrático e entreguista feito pelo governo… PT, PSDB, PMDB, Dem etc: farinha do mesmo saco oligárquico, neoliberal, corrupto, autoritário e truculento.

  14. Deveriam deixar esse petróleo em PAZ e utilizar outras energias LIMPAS e DISPONÍVEIS. O que, aliás, é VETADO pela indústria automobilística (principalmente). Muito simples. Muito simples. Muito simples.Coisa mais idiota do mundo buscar esse PRÉ-SAL. Cadê nossas ferrovias? Cadê os metrôs? A quem interessa isso?

    PETRÓLEO. GANÂNCIA. CAPITAL. IMUNDÍCIE. Tanta discussão besta e todos se esquecem o próprio padecimento em consequência da poluição gerada pelo Co² e as dificuldades para a locomoção. Aff!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *