Para Hélène de Ludinghausen, a Alta-Costura acabou…

No primeiro momento, o português perfeito da baronesa confunde: “Seria ela brasileira?”. Não, não se engane, Hélène de Ludinghausen é russa! Há muitos anos, desde que morou e estudou no Rio, adotou o Brasil como sua segunda pátria. E é aqui que, sempre que pode, Hélène passa agradáveis temporadas de férias e aproveita para rever queridos amigos. Mas sua casa mesmo é Paris. Foi lá que construiu sua vida, repleta de histórias incríveis que poderiam virar um livro. Uma delas foi ter trabalhado ao lado de Yves Saint-Laurent, por 31 anos, no comando de sua maison de Alta-Costura!…

Só para constar, minha amiga Hélène é a última descendente do clã Stroganov, a segunda família nobre mais poderosa da Rússia, que chegou a conquistar a Sibéria para presenteá-la aos Romanov (família dos czares, que era a primeira mais poderosa) e graças a um torneio anual dos chefs das grandes famílias, deu origem a um dos pratos mais famosos do mundo, o estrogonofe!…

De passagem pelo Brasil, a baronesa bateu um papo sobre Moda com a repórter Marina Giustino, da Coluna da Hilde, numa tarde nublada de domingo, no Clube dos Marimbás. Confiram…

Coluna da Hilde: Você trabalhou muitos anos ao lado de Yves-Saint Laurent, que foi um dos maiores criadores de moda do mundo. Como o conheceu? Poderia nos contar um pouco como era sua relação com Yves e qual papel você desempenhava em sua maison?

(A resposta, em vídeo)

YSL 70s Haute Couture Para Hélène de Ludinghausen, a Alta Costura acabou...

Acima, alguma criações de Yves Saint-Laurent, da década de 70, época em que Hélène dirigiu a maison de Alta-Costura do estilista – Créditos: Fundação Pierre Bergé

Coluna da Hilde: O que mais te marcou nesses anos todos em que trabalhou ao lado de Yves? Qual foi seu maior aprendizado em relação à moda?

Baronesa de Ludinghausen: Tive a grande chance de trabalhar com um homem, não só um artista, mas um homem extremamente inteligente, bonito, cheio de charme, com muito senso de humor e um olhar fantástico sobre as pessoas e as coisas. Aprendi muito com ele! Sempre adorei a moda e acho que uma das obrigações da mulher é ser bonita, tornar-se o mais bonita possível! Naturalmente, a moda tem tudo a ver com isso.

YvesL1 Para Hélène de Ludinghausen, a Alta Costura acabou...

Yves Saint-Laurent

Pierre e Hélène Para Hélène de Ludinghausen, a Alta Costura acabou...

Hélène com o amigo Pierre Bergé, grande amor e parceiro de Yves Saint-Laurent

Coluna da Hilde: Como você enxerga a moda atual?

Baronesa de Ludinghausen: A enxergo muito mal! Não existe moda atualmente. Hoje, as pessoas se vestem confortáveis demais, não se arrumam, não se maquiam e andam com o cabelo desarrumado. Não acho que a moda hoje em dia seja muito “enfeitativa”. Não se pode chamar isso de moda…

Coluna da Hilde: Para você, a Alta-Costura acabou?

Baronesa de Ludinghausen: Sim. As mulheres não têm mais tempo de ficar fazendo prova de roupa, os preços dessas peças são exorbitantes, a mão-de-obra para esse tipo de coisa não existe mais, além de ser muito cara.

 Para Hélène de Ludinghausen, a Alta Costura acabou...

Saint-Laurent e uma modelo, em seu atelier, na década de 60

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *