Para dar proteção total a Gui-Gui, Eike suspende obra do Glória!


  • Bomba! Bomba! Bomba!
     o multibilionário Eike Batista, o protetor do Rio, suspendeu as obras de seu Hotel Glória depois que leu aqui neste blog sobre o episódio da bola de fogo que incendiou o ateliê do vizinho, Guilherme Guimarães, maior nome da haute couture do país…
  • Conforme contado por Gui-Gui, caiu da obra do Eike, sobre seu apartamento térreo, uma bola de fogo, isto é, um pedaço de ferro incandescente, provocando um início de incêndio. Segundo o costureiro, foi preciso chamar o Corpo de Bombeiros. Como o estilista não estava em casa e o apartamento se encontrava trancado, toda a vizinhança, a começar pelo porteiro, passaram o maior sufoco, e a sorte foi que o porteiro do prédio vizinho tinha um extintor e, sabe-se lá como, conseguiu se introduzir na área de Gui-Gui e debelar as chamas…
  •  A socialite Maria Célia Moraes, que chegou minutos depois, já atrasada, ao ateliê, confirma que teve que adiar a prova do seu vestido devido ao forte odor de fuligem…
  • Magoado com o episódio, que se repetia (o apê já havia sido atingido por uma pedra da mesma obra), Guilherme contratou o advogado Ivan Nunes Ferreirae documentou com fotos o ocorrido, inclusive o pedaço de ferro em brasa. Mas agora, meus amores, tudo leva a crer que teremos um final feliz. Afinal de contas, tratam-se de dois cavalheiros, hommes du monde, que sabem que mais vale umaperto de mãos do que uma briga de vizinhos…
  • Eike, quando leu neste blog a história da bola de fogo, acionou sua assessoria de imprensa, que fez contato com esta jornalista informando terem sido suspensos os trabalhos da reforma até ser providenciado um esquema de segurança total, impedindo que tais fatos se repitam…
  • A assessoria do Eike também já procurou o Guilherme. Esperamos que haja um happy end, com o início de uma grande amizade selada com jantar no Mr. Lam,em mesa de quatro: Gui-Gui, Eike, Flávia e Hildezinha. O que acham?…

A colunista, que preza a transparência, posta aqui a versão do Eike, segundo seu assessor de imprensa George Patiño:

“A respeito do incidente ocorrido no ateliê do estilista Guilherme Guimarães no dia 14 de setembro, a administração do Glória Palace informa que o consórcio responsável pelas obras de revitalizacão do empreendimento, MCS, cumpre todas as normas de segurança exigidas. Ao contrário do que saiu publicado, não foi uma bola de fogo que causou o incidente, mas sim uma calha em PVC que se queimou por conta de uma fagulha incandescente. A administração do Glória informa também que o consórcio responsável paralisou as obras após o incidente até que seja autorizado a reforçar as proteções já existentes. Por fim, com a revitalização do Hotel Glória, o Grupo EBX reafirma seu propósito de devolver ao Rio de Janeiro um grande ícone da cultura e arquitetura do Rio de Janeiro”.

PS:  Guilherme reafirma que não foi PVC, foi ferro incandescente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *