OS DOIS MAIS BEM GUARDADOS SEGREDOS DA ALTA SOCIEDADE BRASILEIRA EU CONTO

Vou contar um segredinho pra vocês que não são do ramo. Isto é, não são do high. Há duas coisas na alta sociedade brasileira que são permitidas apenas aos Monteiro de Carvalho. Elas são: chamar a casa de mansão e o copeiro de mordomo. A mansão é a famosa de Joaquim Monteiro de Carvalho, o saudoso Baby, e a maravilhosa Evinha, nos domínios de Santa Teresa. Mas só pode ser ela. As outras residências que há no condomínio familiar dos Monteiro em Santa são casas mesmo.

Estas e outras revelações estão em meu livro A comédia desumana, em fase de redação…

Por falar na mansão famosa dos Monteiro de Carvalho, foi nela o jantar do empresário Olavo Monteiro de Carvalho, franqueando os salões Art-Déco de Santa Teresa à joalheria francesa Cartier, que retorna ao Rio de Janeiro…

Lá estavam, entre outros, Paulo Henrique Cardoso e Vanvan Seiler, Ronaldo Cezar Coelho, a atriz Maitê Proença. Aves raras, aves várias de belas plumagens circulavam pelo décor de Antonio Neves da Rocha…

Só faltando o pássaro principal: o anfitrião, Olavo, que, sofrendo de um mal estar à tarde, foi representado no jantar pela irmã, Beatrizinha, uma das mulheres mais simpáticas da sociedade brasileira e, naquela noite, vestindo vermelho, a cor que lhe cai melhor. Mas não aos tucanos, pois havia muitos presentes. Os Monteiro de Carvalho, porém, não ligam para isso. Eles são absolutamente democráticos…

Olavo foi diagnosticado com pneumonia…

Fotos George Maragaia

 

10 ideias sobre “OS DOIS MAIS BEM GUARDADOS SEGREDOS DA ALTA SOCIEDADE BRASILEIRA EU CONTO

    • Eu acho , que a felicidade não e´ ostentar. O que tem e sim deixar que percebam. O alto índice de ,amor companheirismo, entre si.(Familia unida saudável . Feliz) Mas se querem exibir, temos como curiosos respeitar. Sou fã da família e desejo.Feliz 2017

  1. É tanta burguesia que da nojo. A alta sociedade é o povo, sim esse povo que vocês desprezam e tentam não ser, o povo que serve o champanhe, por que esse é o povo que aquece a economia, que perpetua a nossa cultura que é desprezada por vocês “burgueses” filhos dos coronéies, dos senhores de escravos. Pra mim o “high” é “down” e isso é deprimente, opressores!

  2. Uma reportagem idiota e frívola que passa uma ideia completamente surreal de um dos grandes empresários brasileiros do século XX, Joaquim Monteiro de Carvalho que foi um homem generoso, educado e humano, sempre preocupado com as causas sociais,participante de empresas pioneiras dos avanços das relações do capital com o trabalho. Só de ter trazido a Volkswagen para o Brasil, afora as doações beneméritas que até hoje fazem, já mostra o quanto os brasileiros são devedores a família Monteiro de Carvalho. A baba da inveja quando se mistura a ignorância proporciona este tipo de reportagem vazia e os comentários idiotas que se seguem. A jornalista como é petista já faz o texto com esse enfoque de frivolidade e superficialidade, para colocar no ridículo de forma injustificável, a memória de um empresário notável.

    • Senhor Pedro,

      Ao que percebo, o leitor realmente não entendeu a abordagem da colunista.

      A notícia em momento algum desmerece os méritos de Joaquim Monteiro de Carvalho, os quais a colunista já enalteceu em inúmeras outras ocasiões em vários outros veículos, e não me recordo de o senhor ter se manifestado a respeito. Teriam sido boas oportunidades de corroborar as boas opiniões e os incontáveis elogios.

      O que faço nesta nota é uma observação de cunho de “comportamento”. Um registro, que o senhor tem o direito de considerar idiota e frívolo, assim como tem o direito de não ler este blog.

      Não sou petista, porém aplaudo as conquistas dos governos petistas, que permitiram uma legítima revolução social, sem violência, com ascensão de milhões de pessoas a uma melhor qualidade de vida, com distribuição de renda, porém sem revolta de classes, sem taxação de fortunas, sem confisco, sem satanizar o lucro.

      Não busco tornar ridículas justamente as personagens principais de minha atuação profissional, ao longo de 40 anos, as quais admiro e com as quais convivi ou convivo, que respeito e pelas quais sou respeitada. Passe bem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *