O insensato coração desta colunista e também o de Gilberto Braga

Vocês sabem que um blog é como um diário, em que você abre seu coração sem censuras nem limites. Pois hoje vou falar de meu insensato coração. Isto é, do Insensato coração de Gilberto Braga. Não sei se vocês já sacaram essa, mas o fenômeno telenovela no Brasil tem torcida igual a torcida de futebol e de escola de samba. Eu, por exemplo, torço pelo Flamengo, a União da Ilha e as novelas do Gilberto Braga. Desde A sucessora, A escrava Isaura, Dancin’ Days, não perco uma. E torço como se estivesse na geral do Maracanã. Quando a imprensa, esta equivocada, cai de pau em novela dele no primeiro momento (e isso já aconteceu, raríssimas vezes, mas aconteceu), saio correndo em defesa, pois sempre tenho a certeza de que Gilberto nos brindará com o melhor. E esse pessoal apressadinho quer 80 de Ibope logo na primeira semana, ora essa!…

Gilberto vai nos envolvendo, comendo pelas beiradas, articulando, enredando, aprisionando e, quando vemos, estamos completamente entregues à sedução de suas novelas. Nossa agenda muda, deixamos de aceitar convites e, quando recebemos em casa, é sempre com o televisor ligado, e quem quiser que vá reclamar com o Bispo. E por quê? Porque Gilberto é o mais legítimo sucessor de Janete Clair. Atira-se sem pudor em suas tramas, inteiro, sem limites nem restrições. Brinda-nos com um sequestro de avião logo no primeiro capítulo e, dias depois, um desastre! Não dá tempo nem de recuperar o fôlego. É direto, é verdadeiro, sabe selecionar equipe, e os diálogos são sempre ótimos. Não tem, nem jamais teve, rivalidades com quem trabalha com ele. Ao contrário, prestigia. Coisa de homem analisado que é. Seu atual parceiro nas novelas, Ricardo Linhares, é exemplo disso. Cada vez mais, Gilberto lhe dá espaço, generoso, seguro…

Outra parceria notável do Gilberto é com o diretor Denis Carvalho. É como se tocassem um piano a quatro mãos. Mal a novela começa, a estética gilbertiana nos envolve, aprisiona, e não conseguimos respirar sem ela até o último capítulo. Gilberto também tem dedo verde, verdíssimo, para a trilha musical e a escalação de atores. Que sacada essa de colocar o Lázaro Ramos, sem dúvida um dos maiores atores do país de sua geração (ao lado de Wagner Moura e Selton Mello) como galã! No início um pouco desconfortável no papel, Lázaro agora tira de letra o galã comedor, e para isso não precisa fazer nada diferente de sua atuação brilhante em Ó paí ó. Pois galã comedor é galã comedor, nada tem a ver com status nem classe social. E Gilberto, antenado, percebeu isso. O que poucos autores perceberiam…

Grande sacada 2: Glória Pires. E ela gosta tanto de trabalhar com Gilberto que até deixou de lado sua moradia majestosa em Paris para isso. Glória não é boba, sabe o que é bom. Eu, apesar de não conhecer nada da sinopse, já aposto que, já, já, a Norma (Glória) estará com Raul (Fagundes), pois casal com química é isso aí. E o Eriberto Leão, hein? Gilberto tem isso: dá espaço a atores inesperados e eles viram rapidamente primeiras estrelas. Em Dancin’ Days foi uma safra inteira de atores estelares que ele jogou no vídeo, abrindo-lhes caminho para muitas outras novelas…

Enfim, meus queridos, meus amores, meus leitores, abro pra vocês meu coração, de modo sensato, para falar do insensato coração de Gilberto. E digo, sem medo de errar: essa novela vai BOMBAR!…

No mais, aposto e faço fé de que Gilberto Braga será o primeiro autor exclusivamente de novelas de televisão (ele não escreve nem para teatro nem para cinema – apesar de eu tê-lo convidado para escrever o roteiro do filme sobre minha mãe, história que ele conheceu tão de perto e pela qual sempre demonstrou ser tão solidário) que ingressará, com tapete vermelho, na Academia Brasileira de Letras. E esta aposta não é apenas minha, é também dos graudões da Rede Globo. Gilberto na ABL será a grande consagração para o gênero telenovelas…

No mais, meu querido blog-diário, muitos beijos…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *