MINHA FALA NO ATO NA ABI PELA ANULAÇÃO DO JULGAMENTO DO MENSALÃO

Venho, como cidadã, como jornalista, que há mais de 40 anos milita na imprensa de meu país, e como vítima direta do Estado Brasileiro em seu último período de exceção, quando me roubou três familiares, manifestar publicamente minha indignação e sobretudo minha decepção, meu constrangimento, meu desconforto, minha tristeza, perante o lamentável espetáculo que nosso Supremo Tribunal Federal ofereceu ao país e ao mundo, durante o julgamento da Ação Penal 470, apelidada de Mensalão, que eu pessoalmente chamo de Mentirão.

Mentirão porque é mentirosa desde sua origem, já que ficou provada ser fantasiosa a acusação do delator Roberto Jefferson de que havia um pagamento mensal de 30 dinheiros, isto é, 30 mil reais, aos parlamentares, para votarem os projetos do governo.

Mentira confirmada por cálculos matemáticos, que demonstraram não haver correlação de datas entre os saques do dinheiro no caixa do Banco Rural com as votações em plenário das reformas da Previdência e Tributária, que aliás tiveram votação maciça dos partidos da oposição. Mentirão, sim!

Isso me envergonhou, me entristeceu profundamente, fazendo-me baixar o olhar a cada vez que via, no monitor de minha TV, aquele espetáculo de capas parecendo medievais que se moviam, não com a pretendida altivez, mas gerando, em mim, em vez de segurança, temor, consternação, inspirando poder sem limite e até certa arrogância de alguns.

Eu, que já presenciara em tribunais de exceção, meu irmão, mesmo morto, ser julgado como se vivo estivesse, fiquei apavorada e decepcionada com meu país. Com este momento, que sei democrático, mas que esperava fosse mais.

Esperava que nossa corte mais alta, composta por esses doutos homens e mulheres de capa, detentores do Supremo poder de julgar, fosse imune à sedução e aos fascínios que a fama midiática inspira.

Que ela fosse à prova de holofotes, aplausos,  projeção, mimos e bajulações da super-exposição no noticiário e das capas de revistas de circulação nacional. E que fosse impermeável às pressões externas.

Daí que, interpretação minha, vimos aquele show de deduções, de indícios, de ausências de provas, de contorcionismos jurídicos, jurisprudências pós-modernas, criatividades inéditas nunca dantes aplicadas serem retiradas de sob as capas e utilizadas para as condenações.

Para isso, bastando mudar a preposição. Se ato DE ofício virasse ato DO ofício é porque havia culpa. E o ônus da prova passou a caber a quem era acusado e não a quem acusava. A ponto de juristas e jornalistas de importância inquestionável classificarem o julgamento como de “exceção”.

Não digo eu, porque sou completamente desimportante, sou apenas uma brasileira cheia de cicatrizes não curadas e permanentemente expostas.

Uma brasileira assustada, acuada, mas disposta a vir aqui, não por mim, mas por todos os meus compatriotas, e abrir meu coração.

A grande maioria dos que conheço não pensa como eu. Os que leem minhas colunas sociais não pensam como eu. Os que eu frequento as festas também não pensam, assim como os que frequentam as minhas festas. Mas estes estão bem protegidos.

Importa-me os que não conheço e não me conhecem, o grande Brasil, o que está completamente fragilizado e exposto à manipulação de uma mídia voraz, impiedosa e que só vê seus próprios interesses. Grandes e poderosos. E que para isso não mede limites.

Esta mídia que manipula, oprime, seduz, conduz, coopta, esta não me encanta. E é ela que manda.

Quando assisti ao julgamento da Ação Penal 470, eu, com meu passado de atriz profissional, voltei à dramaturgia e me lembrei de obras-primas, como a peça As feiticeiras de Salém, escrita por Arthur Miller. É uma alegoria ao Macartismo da caça às bruxas, encetada pela direita norte-americana contra o pensamento de esquerda.

A peça se passa no século 17, em Massachusets, e o ponto crucial é a cena do julgamento de uma suposta feiticeira, Tituba, vivida em montagem brasileira, no palco do Teatro Copacabana, magistralmente, por Cléa Simões. Da cena participavam Eva Wilma, Rodolpho Mayer, Oswaldo Loureiro, Milton Gonçalves. Era uma grande pantomima, um julgamento fictício, em que tudo que Tituba dizia era interpretado ao contrário, para condená-la, mesmo sem provas.

Como me lembro da peça Joana D’Arc, de Paul Claudel, no julgamento farsesco da santa católica, que foi para a fogueira em 1431, sem provas e apesar de todo o tempo negar, no processo conduzido pelo bispo de Beauvais, Pierre Cauchon, que saiu do anonimato para ao anonimato retornar, deixando na História as digitais do protótipo do homem indigno. E a História costuma se repetir.

No julgamento de meu irmão, Stuart Angel Jones, à revelia, já morto, no Tribunal Militar, houve um momento em que ele foi descrito como de cor parda e medindo um metro e sessenta e poucos. Minha mãe, Zuzu Angel, vestida de luto, com um anjo pendurado no pescoço, aflita, passou um torpedo para o então jovem advogado de defesa, Nilo Batista, assistente do professor Heleno Fragoso, que ali ele representava. O bilhete dizia: “Meu filho era louro, olhos verdes, e tinha mais de um metro e 80 de altura”. Nilo o leu em voz alta, dizendo antes disso: “Vejam, senhores juízes, esta mãe aflita quebra a incomunicabilidade deste júri e me envia estas palavras”.

Eu era muito jovem e mais crédula e romântica do que ainda sou, mas juro que acredito ter visto o juiz militar da Marinha se comover. Não havia provas. Meu irmão foi absolvido. Era uma ditadura sanguinária. Surpreende que, hoje, conquistada a tão ansiada democracia, haja condenações por indícios dos indícios dos indícios ou coisa parecida…

Muito obrigada.

206 ideias sobre “MINHA FALA NO ATO NA ABI PELA ANULAÇÃO DO JULGAMENTO DO MENSALÃO

  1. Simplesmente brilhante, li em voz alta e arrepiada para minha filha de apenas 16 anos, que saiu comigo em sua coluna 12 anos atrás na Feijoada do Amaral no Gattopardo Café, foto de Antonio Kampffe…

    • Quanto os corruPTos estão te pagando para publicar tá bobagem sem nenhuma comprovação? O julgamento foi todo baseado em provas e vc dz um monte de asneiras a mand dos seus patrões. Ridículo, tenho nojo de gente como vc.

      • Gato, agressiva sua mensagem. Só te pergunto isso: você sabe quem foi Zuzu Angel? Sabe quem foi o filho dela, o Stuart Angel? Sabe por que você pode divulgar uma mensagem sem argumento? Porque gente como eles perderam a vida para você estar aqui podendo se manifestar, mesmo que de forma tao agressiva. Argumente contra a posição de Hildergard, filha da Zuzu e irmã do Stuart, mas nao agrida. Agressao é para quem não tem argumento!

        • Parabéns, Clara pela sua colocação: a maioria da população beneficiada pelo projeto atual de governança está do lado dos que desenvolvem tal projeto e, mesmo eles sabem pouco da história do Brasil, inclusive a história recente.

          Estamos vivendo uma era de liberdade de expressão, mas não podemos confundir com liberdade de agressão.

          Temos muitas coisas a serem arrumadas ainda, mas a depender da grande mídia, só meia dúzia de brasileiros decidem a favor dos seus interesses egoístas.

        • Olha, esse tipo de pessoa que sai agredindo e não conversando é tipico de quem da GOLPE e TORTURA, não quer saber de ouvir o outro lado, só sua razão é a certa, as dos outros não vale um nada. Lamentável!

        • O gato não foi escaldado pela ditadura, por isso ainda é um intrépido valentão do teclado. Insulta por que lhe falta honestidade moral e lhe faltam conhecimentos de toda a espécie.

      • Pobre Hildegar, a senilidade lhe bate ás portas; é compreensível. Á exceção daqueles que tiveram acesso aos autos do processo, só há duas formas de se tomar uma posição: ou confia-se nos dois procuradores gerais e nos ministros do Supremo ( todos, representantes do estado que buscam, não a pura e simples condenação, mas o estabelecimento da verdade e da justiça, gostem ou não os petistas ) que baseados nos autos concluiram que houve desvio de dinheiro público e compra de voto ou confia-se na versão dos condenados por quem se nutre alguma simpatia em razão de seus históricos de vida (que não é passaporte de impunidade para ninguém ) e na versão de advogados cuja única e exclusiva função é livrar das grades os clientes pelos quais são regiamente pagos. A Hildegard, coitada, comprou as versões. É compreensível, como ela mesmo disse, tem várias cicatrizes não curadas, permanentemente expostas ( inclusive no cérebro).

        • Um comentário sensato não começa desmerecendo e ridicularizando a outra pessoa.
          Argumente com dignidade, afirmando sua diferença e não querendo impor uma superioridade.
          Paz e Bem!

          • Em primeiro lugar, não quis escrever um comentário sensato. Não consigo ser sensato quando vejo gente ,supostamente esclarecida,defendendo corruptos, sejam eles de quais partidos forem. Trabalho na região norte do país, numa instituição pública em que o tempo todo lidamos com corruptos, gente que rouba, vai presa, responde a processo e consegue eleger-se e continua a roubar, uns elegem-se em razão da ignorância e da falta de acesso a informações confiáveis, outros porque recebem alguma benesse dos corruptos e outros, deve ser o caso da Hildegard, apenas porque acreditam simplesmente que os amigos não seriam capazes de praticar tais atos.
            Quem toma a defesa pública de corruptos
            ( julgados e condendos na mais absoluto respeito às regras jurídicas) está sujeito a pesadas e insensatas críticas. Abraços !!!

        • Prezado Edno, até caberiam seus argumentos, mas há recurso contra o procurador da república denunciando que prevaricou, com isso corre o risco de nem poder mais ocupar o cargo. Como alguém como ele pode denunciar alguém e ainda mais sem provas como ele mesmo admitiu? Outra coisa, domínio do fato, em ação penal, exige provas. O STF deturpou a tese para ajustar ao seu ódio de querer sair punindo. Acho que o STF estava acuado e queria aproveitar esse processo para dizer ao povo que a Justiça ainda pode merecer crédito. Um dia a história será divulgada, quando o povo tiver uma mídia forte e que conte a verdade. Não despreze aqueles que conhecem essas lideranças e o tanto de seus feitos, são honestos e estão vendo o grau de injustiça. O que tem por trás de tudo isso é a intenção de desmoronar toda a construção que o PT vem empreendendo. Nessa construção, o PT conseguiu tirar o país da condição de colônia e a elevar à condição de Nação, gigante pela própria natureza. Parabéns, Hildegard. Sofri como vc, mas os nossos líderes, Dirceu, Genoino, serão reparados. Tenho fé, Deus é justo e Maior.

          • E você acha que pode doutrinar o STF sobre o alcance do domínio do fato?

            Ou você acha que os Ministros do STF (a maioria nomeados pelo Lula) são desonestos?

        • Pobre voce, Edno Lima, que desconhece a história dos poderosos donos da mídia deste País. O seu desrespeituoso comentário dirigido à colunista só demonstra a fragilidade de seus argumentos. Procure ler, busque meios de comunicaçāo distintos dos tradicionais e conservadores. Eis uma frase para sua reflexāo:”Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tāo vil quanto ela mesma”.(Joseph Pulitzer ).

        • Descordo totalmente do amigo. Não são apenas os advogados e os ministros do supremo que conhecem a fundo a questão. Quem está no PT desde a fundação e que atuou no Congresso Nacional neste período conhece de perto tudo isso e sabe que nunca houve mensalão. E mais, o linchamento feito pela mídia criou uma situação insustentável no julgamento. Era punir ou ser punido pela opinião pública manipulada pelos pre-julgamentos da mídia. E, como visto, poucos tiveram coragem de levantar a voz. O amigo não explica por que critérios distintos estão sendo usados no caso do chamado “mensalão mineiro”, por que o escandaloso caso do metrô cada dia mais vai para as paginas internas dos jornais. A colega teve coragem e merece aplausos por ter trazido a tona sua opinião, demonstrando lucidez e que está muito bem de saúde, obrigado.

      • Gato, seu comentário é agressão maldosa. As palavras de Hildegard Angel têm crédito confirmado nos relatos das violências que seus familiares sofreram e seu depoimento sobre a AP 470, o tal de mensalão, é um alerta para a sociedade que cuida do bom senso, num texto impecável, digno de figurar na história do Brasil.
        Gato não é seu nome!

      • Será que é preciso dar crédito a quem não tem nome e rosto? Ok, mas primeiro antes de falar estas bobagens, pesquise sobre a vida de quem você está agredindo gratuitamente.
        Ela sabe a dor que carrega e você, respeite esta mulher que com certeza desconhece.

      • Gato, provas é o que não existe no mentirão, aliais esse é o xis da questão, pois o Direito Penal busca a verdade absoluta

    • extraordinariamente sábia, profunda sensata. O mundo vale ser vivido porque há mulheres como você. Assiti ao filme onde Patricia Pilar interpretava sua mãe e fiquei encantada. Muitas bênçãos para ti.

      • A cidadã Hildegarde se baseou em seu caso pessoal, no qual sou solidário.Entretanto,confundiu os fatos e não apresentou um item que desqualificasse o julgamento feito pelo Supremo. Comparar esse julgamento que condenou os corruptos Zé Dirceu e sua máfia com as das feticeiras de Salem ou de Joana d`Arc, foi muito infeliz.Ela deveria antes do infeliz pronunciamento fazer uma auto critica e se pautar como a jornalista isenta que sempre foi.

        • Discordo, Matos, pelo simples fato de que ela não comparou personagens, mas atos. Os atos de ambas citações foram falsos e manipulados, então, o uso do exemplo é muito pertinente. Mesmo que você não concorde com as ideias dela, os argumentos são válidos. Contra-argumente, apresente as provas, cite casos em que houve provas futuras daquilo que só pareciam indícios no começo e serviram para condenar alguém. Daí o debate fica rico. Só repetir adjetivos com “corruptos e mafiosos” é copiar termos que a imprensa cunhou. Vamos lá, dizer que a mídia é isenta, neutra e que não tem ideologias, é muita ingenuidade, não acha?

          • Clara, leia o processo.
            Você quer provas?
            A maioria dos réus é criminoso confesso (“recebi o dinheiro, mas não era propina”; isso foi caracterizado pelos Ministros, a meu ver corretamente, como corrupção passiva).
            O Genoíno, o Valério e o Delúbio, dentre vários outros, tinham encontros regulares com o Zé Dirceu.
            Logo após os encontros, rolava dinheiro nas contas de todo o mundo, e o ZD conseguia as votações que pretendia.

            Você quer uma confissão, ou um documento assinado do ZD? Não existem.

            Leia o que disse a Carmem Lucia no processo, quando da fundamentação da aplicabilidade do domínio do fato, e você verá por que ela condenou o ZD, mesmo sem o documento assinado.

            O tempo em que você podia roubar o erário sem testemunhas e sem documentos e presumir-se inocente está se tornando passado.

        • Foi, sim, julgamento de exceção e ponto!!!l Os julgadores todos a fim de promoção pessoal à custa da arbitrária condenação sem provas… PONTO FINAL!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

        • M<atos todo o julgamento foi manipulado…. É só você procurara que não existe provas …Existe um tribunal de exceção……….

        • Mais que ninguém, Hildegard Angel tem moral para agredir uma justiça tão pouco digna que infelizmente ainda temos no Brasil! Sobre a AP 470, temos o retrato da velhacaria nacional instalada no STF e adjacências, nunca antes brasileiro algum havia visto cozinharem uma Ação Penal como quem cozinha lavagem para porcos, juntando serragem para enganar a porcada faminta. STF escreveu mais uma página suja que emporcalha a Nação brasileira!

    • Essa imprensa marron comandada pela Revista Veja são mesmo um lixo de deturpação!Parabens a voce por ter o “culhão” de falar e publicar esse texto!Sua mãe,seu irmão foram heróis e voce representa bem eles nessa luta sem fim!

  2. Como vc é corajosa, um exemplo de mulher inteligente e guerreira que não se deixa levar, com extrema lucidez, mas que toca os corações! Estou em lágrimas, e imagino esta mesma reação com a platéia presente no Ato! Bravo Hilde!

      • HILDEGARD, seu depoimento nos faz lembrar as tristes barbaridades cometidas e nos alertam para os solertes procedimentos daqueles que apenas sabem espezinhar seus semelhantes. O pretenso julgamento do mensalão foi a tampa do caixão do falecido STF que morreu há muito e tinham esquecido de enterrar. O coveiro Gurgel, descuidou-se e caíu na mesma cova! Foi um espetáculo deprimente que os advogados de defesa já deveriam ter começado a condenar com ações que nós temos a obrigação de ver!

  3. Cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-cláp-

    Sou advogado mas, neste momento, só posso aplaudir. O que quer que eu dissesse seria ofuscado pela refinada eloquencia Latina da jornalista. Este texto é digno de “Partitiones Oratoriae”, de Cícero. Como discurso jurídico, ficaria bem na boca de qualquer outro grande varão romano republicano que estivesse empenhado em defender, diante dos comícios, uma causa inglória, porém, justa.

    • Ah, prezado leitor advogado Fábio, quantos aplausos! Não os mereço. Sobretudo a comparação com Cícero. Deve ser efeito deste sol, que amanheceu tão intenso que afeta os humores e amolece os julgamentos. Gostei de tudo, menos da parte da “causa inglória”. Quando temos um foco e um sonho, nenhuma causa é inglória. Qualquer luta é gloriosa, quando nela acreditamos. Meu abraço caloroso e grato.

      • Deixe de modéstia, que isto não lhe cai bem menina. A eloquencia Hilde (vou chamá-la de Hilde, por mera libertinagem virtual) nunca foi fruto da sorte. É por isto deusa Fortuna nem sempre favorecia os varões romanos mais eloquentes.

        Cícero foi imbatível Hilde, mas acabou enredado nos seus próprios discursos e foi impiedosamente abatido pelas Parcas. Os eloquentes imitam as Parcas, pois também cortam pedaços dos discursos que consideram indesejados como elas cortavam os fios que sustentavam as vidas.

        Toda glória Hilde é vã, como dizia Simon Bolivar no fim da vida. É por isto que prefiro sempre a Justiça à Glória. Pois a Justiça permanece justa mesmo quando a causa é inglória ou quando a glória da causa já pereceu. O tempo fará Justiça ao seu discurso, mesmo que sua causa inglória ou gloriosa seja perdida. Felicidades, ciceroniana menina.

      • A CAUSA É TÃO NOBRE, POR SE TRATAR DE JUSTIÇA… que não dá para se fazer ou falar em “ advertências diretas e disfarçadas, como ‘causa inglória’ etc”!

        Aqui a nobre Jornalista, diz como uma cidadã, e como a grande maioria dos brasileiros, pensa sobre o nosso poder judiciário, permanentemente viciado, ademais o STF que deveria dar o exemplo de como fazer a JUSTIÇA e dar o DIREITO na forma prescrita na CONSTITUIÇÃO DEMOCRÁTICA BRASILEIRA… e passou ou passando a julgar como uma JUSTIÇA PRIMITIVA!

        Afinal, os poderes existem para servir ao país e não simplesmente para auferir privilégios e pompa aos seus integrantes, tal como nas monarquias do passado!

        Constata-se aqui, também, a reprise da fábula do “REI NU”, onde todos vêem o absurdo, mas ninguém ousa dizer nada …!!!

    • Existe,sim, Fernanda..
      Aqui em Minas existem muitos e muitas que pagaram e pagam caro
      por falarem a verdade e não terem medo.
      Foi emocionante ver uma das corajosas do Brasil dar seu testemunho.
      Saudades de Dona Zuzu e do Stuart.

  4. Parabens pela coragem e por mostrar ao povo brasileiro a tua fala bem sequenciada ao teu pensamento com a verdade que foi omitida. Apresento as palavras do meu ex professor de Direito a quem muito admiro : “Autoridades são apenas alguns, e só durante algum tempo, enquanto cidadãos somos nós, e durante toda a vida”. ( Quer verdade maior ? ) Meu abraço !!

  5. Parabéns, sou da mesma opinião. Tanto estardalhaço, tanta manipulação da mídia, dando eco à leviandade do Sr. Procurador em qualificar “como o maior escândalo” e o cinismo em dizer que “dormia a nossa Pátria mãe tão distraída….”, dormia sim, na época das Privatizações. A insanidade foi tanta, que o Min Lewandoviski, que era o único com preocupação com as provas e em fazer justiça, acabou ficando como vilão para o segmento que fica entorpecido por certos jornalistas tendenciosos, sem conhecimento jurídico nenhum. Muito oportuna essa iniciativa da ANULAÇÃO dessa FARSA!

    • Essa atitude destemida e sincera nos dá esperança de um dia a justiça se fazer presente.

  6. Li seu texto com muita emoçao. Você aproveitou bem seu espaço para as pessoas poderem refletir. Obrigada. Um abraço.

  7. Parabéns Hildegard pela lucidez e coragem em apontar os capa-pretas medievais de sua mídia e elite contemporânea.

    • Parabéns Hildegard pela lucidez e coragem em apontar os capa-pretas medievais de sua mídia e elite contemporâneas.

  8. Um tapa no rosto para cair a vergonha de grande parte da população brasileira que acreditou no complô da mídia associado àas bravatas de membros do Supremo que soltam estrupradores, assassinos e mafiosos com robustas provas e condenam alguns sem provas. Publiquei no Diário do Povo em Teresina o artigo:
    A educação e a Suprema Exceção
    Por : Renato Uchôa ( Educador )

    É razoável afirmar que o Supremo Tribunal Federal secundarizou ou alijou provas, 4 (quatro) Auditorias que comprovaram a não participação de recursos do Banco do Brasil (73,8 milhões de reais) no mensalão, como propugna ao mundo. Inclusive, uma auditoria particular reafirmou as conclusões. Toda a base para a montagem da AP 470 fundamentou-se em um desvio que não houve. Nessas condições adversas, pífio tempo de defesa, as condenações carecem de substrato jurídico para os crimes imputados, em face dos indícios, mais importantes que as provas. Absorveriam os réus dos crimes (mensalão).

    O Supremo afirma a compra de deputados. Para votarem em leis de interesse do governo, entre outras, Lei da Previdência. Nós que não acreditamos em saci pererê, alma penada, bicho de sete cabeça e fim do mundo; o Congresso Nacional apenas parece, não é o céu. Vota de graça, historicamente, para excluir, reduzir conquistas da classe trabalhadora. A sua composição, podemos afirmar, não é de anjos e santos. Banqueiros que um dia serão ministros, deputados latifundiários, grandes empresários, prepostos deles, enfim, não representam as aspirações das camadas populares, que a mídia de cor marrom faz parecer que sim. São legítimos…, foram eleitos. Pertinente relembrar que o Ministro Gilmar Mendes, que considerou a profissão de jornalista como confeiteiro de bolo e a imprensa, batem palmas. Presumível que tenha dado o sinal, numa aparição patética, agaguejada em alguns momentos, no dia 29 de agosto de 2012, quando sinalizou o falso desvio do montante em questão, objetivando a compra de votos pelo governo.

    A presunção de inocência, na lixeira. O ar contaminado de arrogância travestida de interesse público chega ao ápice; o Supremo usando a exceção passa a “cassar deputados”, afrontando o Congresso Nacional que tem constitucionalmente a prerrogativa, agora tomada pela Suprema Exceção. Existe algo além da aparência da condenação dos culpados, algo mais no ar, não é chuva. A imprensa vai à loucura à procura de audiência, todas as redes nos conectam. A Rede Globo aumenta dez pontos, não importa se a legalidade constitucional seja atingida. Independente dos crimes praticados estamos seguros constitucionalmente com o enfoque dado pelo Supremo? Como é possível que a alta Corte de Justiça do país possa direcionar um procedimento eivado de equívocos e não acontecer uma reação enérgica da OAB, contra essas atitudes que afrontam o Estado de direito?

    Uma luz no fim do túnel. Diante do quadro que conflita a autonomia de poderes. Não obstante os encaminhamentos que se afastam dos ritos legais, pertinente à posição lúcida do Ministro Barbosa, contrária ao justiçamento, prender de qualquer jeito, recupera a jurisprudência do Supremo. Aponta no sentido de que se amorteça a Suprema Força, para que os acusados, resgate do princípio da presunção da inocência, tenham o direito aos encaminhamentos de contestação aos crimes e penas impostas, na forma da lei. Que paguem o que efetivamente devem. Ademais, todos nós fomos educados autoritariamente. Educação conservadora que perdura até hoje.

  9. Pingback: Hildegard e o “Mentirão” do STF | Conversa Afiada

  10. Maria, respeito a sua opinião mesmo discordando totalmente dela! Mas acho que está completamente equivocada, os argumentos utilizados pelos que votaram a favor da punição são FATOS e não interpretativos, ocorreu um grande movimento de corrupção no PT e isso não tem como negar, pior que isso somente os ministros comprados pelo PT que foram os únicos que votaram em desfavor perante a condenação de todos, para eles ninguém é culpado de nada e nada aconteceu, chega a ser uma piada ou ridículo! Não sei por qual motivo vocês da esquerda e petistas não querem enxergar a verdade, torcem para o PT como se torce para um time de futebol e estando ele bem ou mal apoia-se sempre, para mim isso é um absurdo, nossas escolhas políticas devem ser de bom senso e não movidas por fanatismos. Lamentável eu diria seu texto com todo respeito, uma vergonha para o Brasil existir pessoas que ainda tentam defender quem usa da política para se beneficiar.

    • Felipe,
      Infelizmente meu caro, quem está equivocado é vc. Esqueça a “informação” que vc recebe da nossa impoluta mídia e procure se informar melhor nas mídias alternativas. Na internet há muita bobagem, mas tb há muita coisa boa, honesta e de grande credibilidade. Hildegard é uma delas. Abra os olhos meu amigo, “cego é aquele que não quer ver”.

      • O pior cego é o que enxerga todas as oportunas possibilidades de ganhos pessoais em detrimento de uma justa e equanime distribuição. O Cego que se faz de mas tem o olho cravado em seus benefícios.

    • Concordo com o Felipe, e as provas são cabais, não são meras quimeras fantasiosas como querem fazer crer!

    • Eita .. E pobre do Genuíno… o cara mal tem uma casa decente pra morar, e há gente que vem com cada argumento que não se sustenta: Porque receberia dinheiro do PT prá votar a favor, e o cara é do partido? Eu, hein??? …

      • O Genoíno foi condenado por ter assinado empréstimos comprovadamente fraudulentos.

        E a simulação dos empréstimos (como comprovado nos autos) era necessária para que o Valério pudesse justificar o dinheiro que repassou aos parlamentares corruptos (aliás, réus confessos).

  11. Cara Hilde: quando vejo as imagens do julgamento do “mensalão”, diretas do STF, tenho a impressão de testemunhar um colóquio de “eleitos” na Corte de Louis XVI. Convidados à sessão estão a soberba, a expertise insuspeita e os eflúvios egolátricos, e a mise-en-scène parece dar-se, antes que em um prédio de concreto de Niemeyer, nas entranhas aristocráticas do Chateau de Versailles.

    O que salta aos olhos neste teatro burlesco é que, antes do que pelo saber e a sabedoria, o colegiado busca impor-se pela arrogância e a presunção. Tudo, do gestual ao ritus-facial, é artificial e caricato, e a fala pausada, rocambolesca, data vênia, completa o espetáculo desatento à liturgia imposta pelo cargo.

    A legitimidade de um colegiado da Suprema Corte não advém, ipsu-facto, de sua nomeação pelo presidente da República; nem de sua função de guardiã da Constituição. O que dá peso ao “time” é o talento! Na Corte Suprema, como na “seleção”, talento é absolutamente indispensável!! Depois é essencial a absoluta independência, para assegurar ao país, como na frase de Rui Barbosa, “que a força do direito supere o direito da força”. Assim foi no passado, quando por essa casa desfilaram Evandro Lins e Silva, Adauto Lucio Cardoso, Ribeiro da Costa, Victor Nunes Leal, Hermes Lima e tantos outros que contribuíram para o prestigio da instituição.

    O que sinto no “time” atual, com honrosas exceções, entre as quais incluo o Ministro Lewandovsky, é pequenez intelectual, arrebatamento egolátrico e deslumbramento ante os holofotes midiáticos. Acrescente-se a isso sua evidente adaptação à agenda politica, o que é inconcebível!

    A Corte Suprema é a suprema esperança, o oxigênio do país. Quando limitada ou ideologicamente contaminada, urge à sociedade trabalhar – democraticamente!! – para que uma nova “equipe” seja escalada, à altura da nossa tradição.

    antonio veronese

  12. Em vez de ficar choramingando, por que tu não te mudas pra Cuba ou Coréia do Norte, já que tu adoravas tanto esse bando de baderneiros, que tiveram o que mereciam …

  13. Parabéns pelo texto. Você usou o que para muitos parece difícil: a simplicidade!
    A verdade das suas palavras e a forma como descreve os fatos mostram o quanto você é digna.

  14. Fantástico e emocionante o seu texto, ao desconstruir um grande esquema midiatíco contando com a cumplicidade do STF e do Procurador do MP. Parabéns pela sua competência e coragem de enfrentar o pensamento único, que alguns grupos poderosos buscam impor a nossa gente e com os quais não têm qualquer compromisso

    Um grande abraço,

    Lucio Silva

  15. Hidelgard,
    Respeito o seu direito de manifestação e o comentários de todos aqui que com ela concordaram. Entretanto, algumas correções são necessárias:
    1. “ficou provada ser fantasiosa a acusação do delator Roberto Jefferson de que havia um pagamento mensal” – correto! não era mensal e não eram 30 contos. Foram somas volumosas de recursos em dinheiro, sacados por politicos na boca do caixa afrontando as mais básicas das regulamentações do Banco Central e da Receita Federal. Quando descoberto e PROVADO a sua existencia passou-se a chamar contruibuições não contabilizadas de campanha. Dizer que o mensalão não houve por não ser mensal é o mesmo que dizer que se o bandido da luz vermelha matou com luz azul não é homicidio.
    2. “Mentira confirmada por cálculos matemáticos, que demonstraram não haver correlação de datas entre os saques do dinheiro no caixa do Banco Rural com as votações em plenário das reformas da Previdência e Tributária” – quem disse que o artigo do codigo penal diz que o ato precisa ser praticado? Se alguem pagou (e olhe que não precisa nem pagar, basta oferecer para caracterizar o crime), corrompeu e se alguem recebeu (e aquii tambem não precisa receber, basta apenas aceitar receber) foi conrrompido independente de ter cumprido o combinado ou não. Então, temos alguem acusando que ele e outros fizeram acordos com o PT, imediatamente após fluem recursos que são sacados e reconhecidos pelos sacadores. Não resta duvida do crime.
    3.”Surpreende que, hoje, conquistada a tão ansiada democracia, haja condenações por indícios dos indícios dos indícios ou coisa parecida…” – não Hildegard! As condenações se deram por provas e essas foram robustas e por isso, muitos de seus amigos ou leitores não concordam com você.

    • por provas não! por escolha política para condenar um projeto de sociedade que tirou mais 40 milhoes de brasileiros da miséria, mas quem é doente e goza com a desgraça do outro precisa se tratar, COMO É O SEU CASO

      • Antonia,
        Por provas! E robustas! Dinheiro publico (conforme apurado pelos Peritos Contadores do Instituto de Criminalistica da PF), aportado nas contas de empresas de publicidade que sacados (em dinheiro!) foram parar nas mãos de politicos (que confessaram o recebimento). Entenda, sem paixões que para existir o crime basta a promessa e a aceitação, nada mais. Mas, aqui foi completo: tem-se provas da promessa, da aceitação e da entrega do dinheiro. E pior: para construir uma maioria no Congresso. O julgamento foi para analisar a atuação de um bando que buscava a cooptação (por remuneração pecuniária) de opositores. Preste atenção! O projeto politico, que tem seus acertos e erros, será julgado pela população a cada quatro anos e é assm que funciona a democracia. Uma coisa não se mistura com a outra, aliás como os condenados adoram misturar para atrair os incautos para ver se eles se livram das multas e penas de detenção. E quem os defendem também defendem publicitários, empresários e banqueiros que participaram do esquema todo. São todos farinha do mesmo saco!
        E o MEU CASO foi “julgado” por voce da mesma maneira que voce acha que os condenados do “mensalão” teriam sido julgados pelo STF. Essa é outra mania desse governo e dos seus principais nomes, ou seja, quem critica e aponta seus erros, não gosta que pobre tenha mudado de vida. Posso dar um exemplo classico. Não me preocupo de andar de avião com quem nunca teve dinheiro para viajar. Mas, fico estarrecido com a pobreza e as mazelas dos nossos aeroportos que só se deterioram nos ultimos 10 anos, pela ineficiencia desse governo que não se preparou para a demanda de novos passageiros. Sendo assim, sua fala revela a pobreza de espírito de sempre que lemos nos jornais vindos das lideranças do governo. E tem gente que segue a cartilha direitinho.

        • Concordo com todos os teus argumentos (bem fundamentados e não simplesmente soltos no ar), Marcelo, e assino!!

      • Achar que todos nós que trabalhamos por dezenas de anos para concretizar esse projeto de desenvolvimento do país estamos envolvidos, ou apoiamos de qualquer maneira essa lambança a que a cúpula do PT se envolveu na atividade parlamentar é de fato uma ofensa. Pensei varias vezes antes de me expressar temendo ser rotulada , se o tribunal tivesse jugado da mesma maneira o Mensalão do PSDB Mineiro seria o que, outra farsa? Sendo assim são mesmo todos inocentes?
        A democracia é nossa, o desenvolvimento é nosso e seria alcançado mesmo sem essa farra. Certamente teríamos encontrado um caminho quem sabe até mais sólido para chegar a esse resultado. Era esse o desejo da nação. É mentira que é preciso reduzir a política a alianças espúrias como essa do PT e outros com “facilitadores” como Marcos Valério para governar, como é mentira o que diz a tal imprensa marrom. O partido mostrou não acreditar na democracia, perpetuando esse “jeitinho” de governar. Chega desse papo que ladrão que rouba em nome dos pobres é menos ladrão. Quem conquistou o desenvolvimento fomos nós no dia a dia de nossas vidas acreditando nos Brasileiros e não as lideranças. Chegamos a isso porque houve maturidade social para tanto e não porque alguns líderes se perderam em meio a armadilhas do poder para garantir essas conquistas. Teriam feito melhor serviço aproveitando a imensa popularidade que tinham e tem para ajudar a separar o joio do trigo no Congresso ao invés de tomar as coisas pessoalmente e se apoiar em indivíduos de caráter mais do que duvidoso como o já citado Valério ou este Sr Roberto Jefferson para atingir os objetivos. Ao invés de se envolver nesse mangue, não seria melhor, caso o desejo fosse esse, garantir mecanismos no Congresso de modo a melhorar a representatividade do mesmo para que não fossemos levados até onde estamos hj… Tendo que lidar com resultados como os das recentes eleições de dirigentes nas casas do Congresso? Sério mesmo que quem inventou esse problema foi o Judiciário e a imprensa? A crise institucional é muito grave. Assim como José Dirceu subestimou a capacidade de causar estrago do Roberto Jeffersson pergunto quando é que José Sarney se tornou representante dos legítimos interesses do povo?
        Com uma casa parlamentar como essa vamos o viver de que de medidas provisórias? Quem te viu e quem te vê! Não estamos no primeiro mandado, este é o terceiro… As consequências em se perpetuar a forma de negociar maiorias no Congresso são seriíssimas e vão nos dar muitos anos de trabalho. Culpar o tribunal oportunista ou a imprensa marrom pelo imbróglio do mensalão é inútil, sem os fatos não haveria essa oportunidade. Os detalhes são semânticos. O que esse tribunal fez foi se promover apoiado num desejo legitimo da população de ver algum limite na impunidade dos parlamentares que justificam instituições como caixa dois de campanha e lavagem de dinheiro. O governo poderia ter tomado a iniciativa e dado o exemplo. Uma pena, no frigir dos ovos restou pouca diferença entre o modo de governo que temos agora e os antecessores….
        Não sei se procede a citação que reputam a Nietzsche, mas a frase é mesmo muito boa: – Ele teria dito: “Escolha bem seus inimigos porque vc vai ficar muito parecido com eles”.
        Nada a ver com o esforço daqueles que se sacrificaram na luta contra a ditadura pelo qual tenho imenso respeito, o Genoíno de hj, assinando empréstimos “sem ler” e o tão temido José Dirceu centralizador não são os mesmos que eram há 30 anos…o poder muda as pessoas, para dizer o mínimo. Não da mais para esse pessoal que está ai errar e se apoiar no passado. O Tribunal aproveitou um desejo justificado da população e se promoveu com ele. Ocupou um vácuo já que no Congresso não há mais oposição. Mas que não se preocupem os defensores dos envolvidos, aposto que nenhum dos envolvidos políticos no mensalão vai ficar um dia sequer na cadeia. Quem viver verá. Nós no entanto teremos que suportar Jarder Barbalho e Eduardo Alves mandando bastante por um bom tempo ainda. Poderíamos ter ido mais longe….

  16. A Ditadura de outrora nos envergonha, nos envergonhou, e nos envergonhará sempre.
    A Ditadura midiática poderá acabar com nosso país. Depois? Depois será tarde para se envergonhar!

  17. Muito lúcido, o texto. Pena – salvo na escrita da história – não fazer diferença alguma. Os jornalões e revistas semanais irão continuar deitando o cabelo na tese de que o julgamento foi justo e seus leitores – míopes em se tratando de política – continuarão acreditando. Quanto aos ministros, melhor me calar.

    Parabéns,
    GS BH MG

  18. Obrigada por ser nossa voz, estava entalado na minha garganta, parabéns ainda tem pessoas de caráter e honradez nessa imprensa medíocre brasileira.

  19. O STF (Superior Tribunal Federal) e seus ministros, zelando por suas honradezes nesse juízo, deram ao povo brasileiro a certeza de que podemos confiar na imparcialidade dos homens de toga da instância maior do poder Judiciário brasileiro.

    O maior e mais grave escândalo da história republicana — porque se tratou, além da roubalheira, de tentar golpear a democracia com a criação de um Congresso paralelo — ganhou há poucos dias outro livro: “Mensalão — O dia a dia do mais importante julgamento da história política do Brasil”, do jornalista Merval Pereira, colunista do jornal “O Globo” (Editora Record) e comentarista da GloboNews e da CBN. Digo “outro” porque há a história lida e analisada pelo professor Marco Antonio Villa em “Mensalão” (Editora LeYa).

    • Meu caro Marcio Botelho, não falamos politicamente mas como cidadão, o nosso supremo tribunal falha mal, deveria usar as mesma teorias para os casos de corrupção anterior que provas tem, mas aceitaram recursos, porque se for PT ou negro tem regras diferente.
      Você foi infeliz nas suas colocações.

      • Caro Sale:

        O ‘articulista’ Marcio Botelho, deve, supostamente, ter admiração por “injustiça”… deve ser da parte ‘podre’ do STF primitivo!

        …HÁ SE UM DIA O STF TE ‘PEGAR’ MB !!!

    • Márcio Botelho…Você deve pertencer a parte podre da imprensa (………) e nunca viu e nem pesquisou o que é correto ou certo ou justo……

  20. Congratulo sua expressão apropriada e justa em favor daqueles que lutam e lutaram pelos ideais republicanos.

  21. E se Hildegard estiver certa?! acabou a res pública. Como fica nossa República? que república é esta? Na mitologia escandinava Hildegard era a Walquíria enviada por Odin para escoltar os heróis da batalha de Valhalla…. Bravo jornalista!

  22. Estive ontem na ABI, e não pude conter as lagrimas ao lhe ouvir.
    Sensibilidade e consciência critica. Irretocável o texto.
    Sua mãe, irmão e cunhada estariam orgulhosos daquela menina que via a criminosa ditadura invadir sua casa e suas vidas.
    Parabéns e um beijo no coração!
    Zuzu, Stuart e Sonia, PRESENTES, AGORA E SEMPRE!

  23. Mulheres como vc nos enchem de orgulho e coragem!
    Excelente texto; digno, honesto, valente!!
    Mto Obrigada,
    Bjs
    Ana

  24. Fosse barroco, até haveria beleza, ou alguma beleza, mas haveria de conter provas cabais, entretanto, o que se passou no Supremo Teatro Federal foi algo muito grotesco, medieval, talvez por isso a tenha remetido a reminiscências dos séculos 17 e 15, aos tempos de Tituba e Joana D´Arc. Como diria Fernando Pessoa, “Arre, estamos fartos desses semideuses, onde é que há gente no mundo?”. E ainda bem que a História não acabou (nem mesmo essa história, que também espero, não seja vã, inglória) e há, sim, ainda, muita gente (boa) no mundo. Parabéns, Hildegard, no seu texto encontramos a humanidade perdida, vilipendiada pela espetacularização midiática e pela vingança (dos oligarcas) camuflada de justiça.

  25. Coloquei o link em meu perfil do facebook e em uma comunidade que fiz para alunos do ensino médio. Meu comentário: Hildegard tem a honra e a coragem no sangue, nos genes. Linda mulher de lindas palavras, oportunas e certeiras!
    De resto é calar e reler seu texto. E se ainda não fosse a justeza da causa, seria a beleza da oratória. Mas, que luz, são os dois!

  26. Como cidadão de bem, manifesto à Sra. Hildegard a minha mais profunda gratidão, pois eu e minha família nos sentimos honrados como brasileiros, que lemos e assistimos as maiores atrocidades como se fosse a única voz de uma sociedade. O seu artigo nos lavou a alma, nos fez ver nesta manhã que ainda existem jornalistas e cidadãos com a sua grandeza. Como estudante de direito, confesso que seu artigo nos deixou em estado de graça, deve ser lembrado pelos nossos juristas. Muito obrigado por esta grande contribuição a democracia brasileira.

  27. No dia em que não necessitarem mais do Joaquim Barbosa e outros que armaram o julgamento da Ação Penal 470, a mídia e os neoliberais cheirosos vão colocá-los no limbo para serem esquecidos. O que querem estes é tomar de volta o poder. Mas eles não têm mais votos.

  28. Arrepiei, chorei e gente como vc. nos faz feliz e nos faz crer que o mundo tem gente com coragem e com um coração enorme, onde cabe a justiça, a coragem! Obrigada por um pronunciamento tão belo e verdadeiro.

  29. É minha querida… o povo brasileiro seguiu à risca o que lhe mandaram “deitou em berço esplêndido” e por ai ficou. Poucos são os que se preocupam em fazer ouvir a sua voz. Parabéns pela coragem de descruzar os braços e gritar o que lhe sufoca.

  30. Cumprimento-a e solidarizo-me com a sua atitude, e principalmente com a sua coragem. O Brasil, felizmente, ainda tem mulheres e homens da sua decência, que não se acovardam! que são destemidas. O eco da sua voz é com certeza a voz de todos os brasileiros que não dispõem do espaço para demonstrar toda a sua indignação.

  31. Sou advogado e estou envergonhado. Não só do STF, mas, sobretudo, de mim mesmo, por não conseguir expressar com tanto clareza quanto você, acerca da indignidade que foi esse julgamento. Parabéns!

  32. Hilde, tenho enorme admiração pela sua coragem de preservar a memória dos seus entes queridos que tombaram lutando pela democracia. O STF no julgamento rasgou toda a sua jurisprudência tão empolgado que ficou com a midia golpista.

  33. Quero agradecer sinceramente por sua coragem e discernimento diante deste imenso crime cometido contra inocentes, enquanto tantos se calam e fingem não ver o que está acontecendo…

  34. Prezada Hildegard,

    Parabéns pela capacidade de transformar suas ideias em um texto limpo e esclarecedor. A comparação entre os tribunais da ditadura militar foi muito oportuna. A história reservará aos juízes o seu devido lugar, mas, não podemos deixar que sofram calados todos aqueles que foram e serão vítimas de um judiciário de tão baixo nível.

  35. Texto belíssimo e que deveria ser afixado nas ante-salas de todos os tribunais do país, para que lembrasse aos operadores do direito a responsabilidade que – por dever de ofício – deveriam ter com a aplicação da Justiça. Me emocionou pela simplicidade, pela dignidade e pelo compromisso expresso com a Justiça e a ética. Meus parabéns, Hildegard Angel.

  36. Ate que enfim alguém não concordou com essas asneiras da hildegard angel!!!!acho que seu irmão e sua cunhada nunca imaginaram que os seus companheiros fossem virar “trombadinhas” ou melhor trombadões!!!!que almejavam o poder so para tomar de conta do país ….criticaram sempre todos e depois que chegaram no poder fazem de igual a pior!!!!quando será que teremos políticos honestos?????
    Lydia moraes

  37. Belo discurso e, mais que isso, uma bela verdade. Por isso que digo sempre que o mundo é bom, apesar dos equívocos de algumas pessoas e, de tão bom, há sempre espaços para revisão de um ato ou um fato. O discurso dessa jornalista, com certeza, coloca algumas pedras no edifício da consciência mesmo daqueles que se arvoram em vestais e donos da excelente verdade pelo poder, aparentemente imune de poder julgar. Creio que é o que fará esse discurso! A propósito, com muita tristeza, sem baixar a cabeça diante da televisão, vi uma julgadora afirmar que “não conseguia admitir que uma só pessoa – referindo-se ao Valério (creio) -, fosse capaz de fazer tudo isso (aquilo que julgava) sozinho, por isso, condenava o José Dirceu”. Se a expressão não foi essa, o conteúdo o foi. Então, temos mesmo que discutir a condenação pelos meios ao nosso alcance, como faz a Hildegard Angel. De minha parte, tenho ainda o registro da luta por eles empreendidas que me permitem estar aqui escrevendo estas linhas da minha consciência e seria uma enorme covardia, de minha parte, silenciar para não me incomodar. Parabéns à jornalista que traçou em breves linhas uma dura e triste realidade do nosso STF. É o que penso.

  38. Todos que pensamos como você estamos calados há muito tempo.
    Desde que começou esse massacre de desinformação imposto pela imprensa representante do eleitoralmente derrotado pensamento direitista da elite brasileira.
    Mas já é hora de nos manifestarmos. Chega de ficar ouvindo, só ouvindo, essa minoria que tem à sua disposição os seus veículos decadentes e os seus articulistas medíocres.
    Encontros e debates – como este na ABI que deu oportunidade para esta sua “fala” vigorosa, emocionante e necessária – devem acontecer por todo o Brasil.
    É hora de quebrarmos esse silêncio da maioria e fazer valer a nossa voz e a nossa indignação, como já fizemos valer o nosso voto.
    O seu discurso apontou o caminho.

  39. Meus parabéns Hildegard Angel; devemos manifestar nossas ideias pois somos democráticos e temos liberdade de expressão, muito bem, vc. tem apoio de 3/4 dos brasileiros.

  40. O ato de exceção neste processo foi tentar passar para a sociedade que houve recursos públicos do Banco do Brasil.O empresário Marcos Valério e sua defesa, produzida por brilhantes advogados, conseguiram provar que os recursos não eram públicos. Desmascararam os peritos da Polícia Federal que não exibiram os extratos do Banco do Brasil que poderiam provar a transferência de recursos. E o STF passou por cima de todas as provas da defesa. Este processo fez-me lembrar da fábula do Lobo e o Cordeiro.

  41. Brilhante e emocionante. Grato por sua coragem, lucidez e cidadania. O termo Mentirão foi bem criativo e expressa a verdade dessa farsa. Parabéns.

  42. Def fato, a ditadura foi justa e nunca julgou se não dentro da mais restrita obidiência as leis e ninguém nunca sofreu, como esses petistas, nada que não tenha feito por merecer

  43. Caríssima Hildegard,

    Confortável é a sensação de ler algo que a gente
    imagina dizer/escrever e não consegue…
    Até que aparece alguém para reproduzir com
    extrema eloquência, inteligência e lucidez.
    Parabéns.

  44. o triste e’ que teremos que esperar o futuro para a historia fazer justica….parabens Hilde…..a Direita nao tem criatividade nem decencia mas….e’ extremamente agressiva…..desculpa a falta de acentos….e’ o computador……

  45. Minha querida menina:
    Você lavou a minha alma ! Aos 80 anos ainda milito politicamente na internet, pois a carcaça não me permite mais a revolta nas ruas ou nos palanques. Suas palavras são perfeitas e retratam a verdade mais verdadeira do que aconteceu. Aquilo foi uma manifestação de covardia, pois ali todos sabiam que estavam errados – mas o único a manifestar seu desacordo foi Lewandovsky. Quando digo COVARDIA, refiro-me ao sentimento de medo que todos sentiam. Como desagradar essa poderosa mídia? O que ela faria se não endossassem o coro da OPINIÃO PÚBLICA formada subliminarmente por eles, e tida como a MAIS PURA VERDADE. Briguei com muitos amigos por causa disso; gente desinformada, ou melhor, mal informada, pois são incapazes de pensar com sua própria cabeça ou se informar em outras fontes.
    Espero que esses juízes “CAGÕES”, que desonram suas togas, tenham algum dia um castigo merecido. ( perdoe-me o vocabulário, mas na minha idade permito-me dizer tudo o que penso ) Um beijo carinhoso e agradecido

  46. Simplesmente maravilhoso, Hildegard! Irretocável, cristalino! A mais pura verdade!
    Jesus Cristo assinaria em baixo!

  47. Bravo! Bravo!
    Deixo aqui uns versos de Thiago de Mello, poeta e cantador, caboclo do Amazonas, que traduzem suas palavras em coragem, esperança e fé.

    Artigo 1
    “Fica decretado que agora vale a verdade,
    que agora vale a vida
    e que de mãos dadas
    trabalharemos pela vida verdadeira.”

    ESTATUTOS DO HOMEM – Thiago de Mello

  48. Hildegard, muito obrigado por seu depoimento. Foram muito oportunas as alusões aos romances e fatos históricos que refletem o Direito “contemporâneo”, além das emocionadas declarações! É necessário, sempre relembrarmos os tempos da ditadura militar para que não esqueçam de nossa história.

  49. Tem razão, o Ministro Joaquim Barbosa estava comprometido com a direita , com os tucanos. Os condenados são homens honrados , nunca mentiram, nunca se apropriaram de grana do povo, São vitimas e perseguidos por homens comprometidos . Quando meterem as algemas no José Dirceu, estarão cometendo a mesma injustiça cometida contra Jesus. Eles são covardes que inventaram até uma amante, para o grande brasileiro Luiz Inácio da Silva aproveitando-se da ingenuidade dele que nunca sabe de nada.
    Muito triste…

    • Não sei se o Min. Joaquim Barbosa estava comprometido com algum partido político, mas sei bem com o que ele não estava comprometido: com a nossa Constituição Federal e com o Estado Democrático de Direito.
      Ele pode ter ganho algumas capas da Veja, mas o nome dele vai ficar, ou melhor, já está na História como uma mácula do STF por causa desse julgamento.

  50. Desde a época, Hilde deve lembrar, da campanha para a candidatura de Dilma em que Hilde gravou um depoimento verdadeiro e contundente, e pedi a ela e ela disse que estava à disposição para divulgá-lo, assim como o depoimento não menos feliz de Maria Da Conceição Tavares, venho chamando a atenção de vários setores, para que esta brilhante jornalista seja mais um caminho em busca de justiça e liberdade.
    Um depoimento da mais absoluta credibilidade e riqueza na busca das diretrizes dos fatos e da verdade.

    Fernando José de Cavalcanti Afonso

  51. Hildegard. O seu texto nos lava a alma, nos leva a uma descoberta da pessoa maravilhosa que voce eh, apesar de nao te conhecer. Obrigada pela transparencia, coragem e beleza das suas palavras. Nos faz ter mais vontade de enfrentar o medo e as injusticas. Meus respeitos e um abraco no coracao valente daquela menina assustada que aprendeu a dizer “nao esta certo, nunca vou aceitar isso”. Certamente foram os valores morais e cidadaos que os seus familiares queridos te deixaram de heranca, a mais valiosa de todas.

  52. Obrigado por renovar-me a esperança. A clareza com que vê todo o processo é provavelmente fruto da experiência de vida que é do tipo que não nos deixa dúvidas. Se pelo sofrimento é ruim, a capacidade de perceber e revelar aos que não vêm o que está diante deles por outro lado é uma dádiva. Parabéns pela coragem de dizer em campo aberto.

  53. Hilde ,parabéns ,vc disse tudo , o Brasil precisa de mais pessoas com a sua coragem.Beijão

  54. Cara Hildegard Angel Jones:
    Depois deste seu desabafo-depoimento, só falta a História do Brasil ser reescrita tal qual os fatos realmente aconteceram.
    Precisamos acabar com este abismo no tempo, temos de enfrentar a verdade da tortura e da covardia da época da ditadura.
    Cabelos brancos e idade avançada não devem ser sinonimos de inocência.
    O Brasil perde duas vezes e ganha muitas com sua coragem.
    Estou orgulhoso de você!
    Este seu relato deveria ser lido por todos os futuros profissionais de comunicação, pois, os que aí estão não o farão mais.
    Abraços!
    Eduardo de Miranda Jones

  55. Caríssima Hilde.
    Seu depoimento aumenta ainda mais a minha admiração por você.
    A coragem que você demonstra é uma virtude rara nos dias de hoje.
    Parabéns.

    Hélio Costa

  56. As lágrimas que estou derramando são, sim, por seu texto, mas muito mais pelo que você consegue tão bem aclarar. Lutamos tanto pela democracia e, felizmente, a alcançamos. E nos assusta, no envergonha, nos enoja que justamente o Poder Judiciário invista-se de autoridade para inaugurar uma nova ditadura. E pelos interesses mais baixos: a vaidade, o estrelato, a bajulação.

  57. Excelente texto, mais excelente ainda a coragem dessa brasileira que vem a público e assume sua posição diante de um assunto tão complicado. Parabéns pela coragem, pela exposição feita e, principalmente, pelo compromisso com a verdade. Pena que a maioria do nosso povo ainda está subjugado aos interesses de uma mídia defensora apenas sde eus interesses capitalistas. Quisera o Brasil ter mais pessoas corajosas e apaixonadas que fizessem o mesmo. A verdade virá à tona!!!
    A luta continua!

  58. Prezada senhora Hildegard,
    Lendo um texto como este de sua lavra, a única coisa que me vem à cabeça (e que se encaixa bem em todos os membros de sua família!) é a letra da música VINCENT, de Dave McLean. Trata-se de uma homenagem ao pintor Van Gogh. Nas últimas linhas, ele diz, docemente: “But I could have told you, Vincent: This world was never meant for one as beautiful as you!…” A pequeneza da massa (eu falo da massa dita “cheirosa”, não do nosso amado povo, que fique claro desde já!) certamente a impedirá de compreender a amplitude do que sentes e lindamente expressas… Deus te abençoe com todo o Seu carinho!

  59. parabéns e obrigada, Hildegard, por expressar com tanta clareza o que milhares de brasileiros pensam!! Tanto o julgamento quanto as acusações seriam cômicas se estivessem dentro de um contexto teatral humorístico… mas, a sério, em um tribunal superior foram simplesmente lamentáveis! Um festival de acusações sem provas e provas da defesa não reconhecidas apesar de bem documentadas! E a mídia comandando o espetáculo! Triste! Fico pensando no que vão inventar nas vésperas da próxima eleição!

  60. Hey Angel,

    não esquece de levar os cigarros pro dirceu tá bom?

    HAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahahaHAHHHHHHHHHHHHHHHHHHhahahahhhahaha

  61. Parabéns pela coragem e por honrar o nome e a luta de sua família. Como se vê pelos comentários dos ‘leitores’, não é fácil remar contra a corrente e tentar arejar a cabeça do pessoal da Casa Grande…

  62. Hildegard, emocionei-me com a história de sua familia! Imagino o sofrimento e a dor de sua mãe!
    Me pergunto: O que a intolerância é capaz de fazer com a vida das pessoas é assustador!? Mas a sua história também deixa uma mensagem de esperança vinda de pessoas que nem sempre se espera… um dos julgadores do seu irmão morto foi convencido da VERDADE e seu irmão morto foi absolvido.

    Sobre o mensalão ou “MENTIRÃO” como voce alcunhou, quero registrar neste espaço que precisei ler muitos documentos constantes do autos da AP 470 da relação existente entre VISANET, Agência de publicidade e Banco do Brasil, inclusive auditorias do BB e da VISANET. Fiz isso por uma razão fundamental num momento em que pouca gente ainda tinha tido o contado com tais documentos e provas:DESCOBRIR A VERDADE verdadeira, não aquela veiculada pela grande imprensa tendenciosa e de uma só nota, mas aquela constantes dos AUTOS da AP 470.

    Pude constatar com meus próprios olhos nos documentos das auditorias que o dinheiro do Fundo de Incentivo Visanet (FIV) é da VISANET, e que sobre esse fundo quem tem a propriedade, a gestão, a fiscalização e a administração, é a própria VISANET, logo o dinheiro não é público mas sim privado. E mais, e está lá pra quem quer que seja ler, nas auditorias consta que as campanhas de publicidade patrocinadas pela VISANET para o BB divulgar o cartão de bandeira VISA foram sim realizadas.

  63. É incrível o cinismo das elites encasteladas, sempre aplaudindo em silêncio e apoiando na calada da noite as iniciativas que dizem respeito aos próprios interesses. Adoram o ócio e as contas bancárias recheadas, bastando para tanto dizer amém às sorrateiras incursões alienígenas. Quem puxa aos seus não degenera e muito menos exagera sobre o Mentirão. Hildegard Angel é uma mulher de fibra, corajosa, além de excelente profissional. Que siga em frente na luta incessante pela verdade dos fatos, doa a quem doer. Hasta la victoria final!

  64. Hilde, parabéns, e acima de tudo, obrigada por expor neste seu espaço privilegiado sua opinião sobre o “mentirão”. Obrigada porque nesse espaço seu público, ou parte dele, provavelmente guia-se apenas pelas notícias e desinformações dos jornais da imprensa tradicional, a qual enalteceu o julgamento e beatificou os ministros. Obrigada por pensar diferente e por expor o que pensa. Obrigada por contribuir para o amadurecimento da nossa democracia plural.

  65. Essa quadrilha hoje condenada justamente pelo STF pretendia transformar o Brasil numa nova Cuba, isso lá pelos anos 60. Cuba hoje é o melhor sinônimo de atraso em todos os sentidos. E mais: sentença judicial não deve ser discutida, mas cumprida.

    • Sim, quando transitar em julgado a sentença será cumprida. Mas o cumprimento da sentença não impede que as pessoas, inclusive os réus, se manifestem publicamente contra ela, que critiquem o juízo de exceção, que denunciem a violação dos princípios constitucionais que ocorreram no processo.
      Você acha justo que os advogados dos réus tenham tido 2 horas para apresentar a defesa, enquanto que os Ministros – como se fossem promotores – discutiram o processo por cerca de dois meses? Isso não é violar o direito de ampla defesa?
      Então você acha que alguém que é condenado sem provas por um crime que não existiu deve se resignar a cumprir a pena mudo e calado???
      Desejo sinceramente que nunca em sua vida você seja processado e julgado com o mesmo “rigor” dos ministros do STF na AP 470.

  66. Parabéns, Hildegard!

    Stuart, Zuzu e o povo consciente e indignado deste país estão orgulhosos pela sua coragem!

    Abraços,

  67. Quando vejo as imagens do STF, durante o julgamento do chamado “mensalao” tenho a impressão de testemunhar um coloquio de “eleitos” da Corte de Louis XVI. Convidados à seção estão a soberba, a expertize insuspeita e os eflúvios egolátricos, e a mise-en-cene parece dar-se não em um prédio de concreto de Niemeyer, mas nas entranhas aristocráticas do Chateau de Versailles.
    O que salta aos olhos neste teatro burlesco é que, antes do que pelo saber e a sabedoria, o colegiado busca impor-se pela arrogância e a empáfia. Tudo, do gestual ao ritus-facial, é artificial e caricato e a fala pausada e rocambolesca, data vênia, completa um espetáculo desatento à liturgia imposta pelo cargo.
    A legitimidade do colegiado da Suprema Corte não advém, ipsu-facto, de sua nomeação pelo presidente da República; nem de sua função de guardiã da Constituiçao. O que dá peso ao “time” é o talento! Na Corte Suprema, como na “seleção”, talento é absolutamente indispensavel!! Depois, é essencial a absoluta independência, para assegurar ao país, como na frase de Rui Barbosa, “que a força do direito supere o direito da força”. Assim foi no passado, quando por essa casa desfilaram Evandro Lins e Silva, Adauto Lucio Cardoso, Ribeiro da Costa, Victor Nunes Leal, Hermes Lima, e tantos outros que contribuíram para o prestigio da instituição.
    O que sinto no “time” atual, salvo honrosas exceções entre as quais incluo o Ministro Lewandovsky, é pequenez intelectual , arrebatamento egolátrico e deslumbramento ante os holofotes midiáticos. Acrescente-se a isso sua evidente adaptação à agenda politica, o que é absolutamente inconcebível!
    A Corte Suprema é a suprema esperança, o oxigênio do país. Quando limitada ou ideologicamente contaminada, urge à sociedade engajar-se, democraticamente, para que uma nova “equipe” seja escalada, à altura da nossa tradição. antonio veronese

  68. Parabéns pela coragem…ao ouví-la fui tomada de uma esperança que confesso ,estava abalada ,frente ao espetáculo grotesco impetrado por essa “suprema” corte aos olhos de todos nós… nenhuma analogia poderia ser tão precisa quanto a do rei nu….
    Aqueles que não te conhecem,milhões deles, os relegados os “desimportantes” farão jus á sua coragem no curso sagrado da nossa história… O grito foi dado :”O rei está nu”…

  69. Parabéns pela sempre coragem. Assisti, ouvi e li. Concordo com vc em todos os pontos. Não era baixo (1,60), pardo, cabelos crespos. Deu-se a oportunidade para dizer que era “alto (1,80), branco, cabelos loiros. Assim, vivemos a história, parabéns novamente para vc que tem a oportunidade de lutar sempre.

  70. Que grandeza, que lucidez possui essa BRASILEIRA JORNALISTA honrada e maravilhosa. Profissional assim tem que ser referencia a ser seguida. Lavou a minha alma seu texto. Aos maleducados que aqui se manifestaram sem argumentos demonstrando ignorância, desejo que saiam com a máscara do joaquim barbosa no canaval, aquela que a “rede bobo” alardeou que seria sucesso.

  71. Parabéns Hilde pela coragem. Como mineira também, me orgulho ainda mais de sua voz.
    E a gente fica pensando até que não tinha direito de colocar filhos no mundo, num país como este – quando tudo de errado acaba dando certo.
    E nós, ficamos aqui somente com o direito de “Doar ouro para o bem do Brasil?!?”
    Cláudia Maria

  72. Para o PT e PDMB, não existem corruptos nem corruptores no Mensalão, o mais escandaloso caso ocorrido no Brasil desde que Cabral aqui aportou. O PT quer se perpetuar no governo, não tem plano de governo, mas plano de poder. Um dia a casa vai cair. O Brasil não poderia mesmo ter virado uma Cuba comunista como queriam tantos petistas que hoje se encontram condenados. Quero ver todos algemados e cumprindo as penas. Sem exceção.

  73. Parabéns pelo discurso na ABI colocando nú o rei, a farsa do STF na Ação Penal 470. Para se ter ideia até aqui no vale do jequitinhonha há muitas pessoas que discordam desse circo que foi montado pela mídia, STF e PGR.

  74. Obrigada Hilde por sempre se posicionar claramente a favor da verdade. Tenho profundo respeito pela sua pessoa e pelo seu trabalho. Fica com Deus.

  75. Gesto de muita coragem e lucidez. Não me assustam as agressões dos que pensam de outra forma, a maioria nem pensa por si e a outra parte só pensa pra si. São poucos os que reúnem conhecimento, sabedoria e boa índole, e que se propõem a irradiar o bem através de seus atos e palavras. A esses homens e mulheres raros, toda a força. Alguém citou nos comentários o mensalão mineiro, pois leiam no novojornal.com uma série de reportagens documentadas sobre o assunto.

  76. Justamente quando nossa suprema corte dá um raro exemplo de seriedade, retidão e Justiça, essa senhora – que vive da fama de perdas familiares na ditadura militar, vem desfilar um corolário de baboseiras…

    Imagino seu desapontamento como eleitora petista, ao descobrir que aquele partido que antes bradava o lema da ética e probidade na politica, tenha montado o maior esquema de corrupção da historia da república.

    Tudo fartamente comprovado como ficou clara no veredito da suprema corte desse Pais. A corte máxima.

    Quanto a mim, que gosto de ver criminosos na cadeia, só lamento o fato do chefe mor do esquema, ainda continuar solto.

    Por enquanto, apenas por enquanto…

      • você baixou o nível. deve ser petista. que tal fazer companhia aos condenados no mensalão?

        • Não baixei nível algum. Até porque o nível de vocês já é baixo. Quem vive de mentiras e acusações falsas, qual o nível imagina ter?
          Chamar alguém de ignorante é deduzir que essa pessoa desconhece o que diz. Não chega nem ao ponto de me rotular como é comum o seu provável partido fazer. E ainda por cima errando, pois não sou PT.

  77. Sinto-me orgulhosa e agradecida, por você ter dito o que nós, milhares de brasileiras defensoras dos direitos humanos, gostaríamos de ter verbalizado a respeito dessa farsa que foi o julgamento da Ação Penal 470.

  78. O torpedo que sua mãe enviou foi escrito, não é? Porque, ao que me consta, ela faleceu em 1976. Perdão pela pergunta, mas é que esse termo torpedo é usado para mensagens de celular, por isso fiquei confusa. De qualquer forma, entendo seu desabafo.

    abraços

    Nice Pinheiro

  79. Eu acredito que julgar aos juízes é além da incumbência de qualquer cidadão, porém respeito o direito que todos temos de manifestar nossas opiniões.
    Não estou tomando partido nem manifestando uma opinião sobre o caso, pois não o acompanhei (não tenho idéia do que se trata!). Os que o acompanharam, ou estão envolvidos ou estão de espectadores fortalecendo o poder da mídia e dos “interpretes”.
    Eu tenho mais o que fazer com meu tempo e acho que essa mania de transformar a vida política e social em novela, fomenta o parnasianismo quotidiano: política por política, reportagem por reportagem, debate por debate. Nada se resolve.
    Sejamos mais objetivos e organizados e o pais consequentemente mudará para melhor:
    O juízo aos juizes, a política aos políticos, a democracia ao povo e a mídia… aos “mídiucres”. =)

  80. Lendo os comentários, chego a seguinte conclusão. Tem meia duzia de petistas postando com nomes diferentes, defendendo com unhas e dentes os bandidos do PT. Quando a maioria dos brasileiros estão pasmados com as falcatruas desse partido, vem essa sra. choromingando pela gang.
    dona Hildegar, está com medo de perder pensão militar?

  81. É inacreditável e inconcebível o ódio e o rancor que essas pessoas trazem no peito, a ponto de escreverem um comentário deste pautado pela desinformação, maldade e cinismo. Você deve estar acostumada, Hilde! Sabe o tipo de gente.

    Abraços e minha solidariedade

  82. Extremamente estranho! Os PETISTAS nao aceitam a decisao judiciária do BRASIL, com os politicos deste partido, que ADORAM o luxo que o poder lhes proporcionam, e nao aceitam a decisao judiciária da ITALIA, no caso Batistti. A verdade pertence a eles! TUDO é perseguiçao: da imprensao, do judiciario, da classe abastada…ELES SE PROTEGEM!!! Nao largam o OSSO DO PODER!! Adoraram as mordomias de la…..RESPEITO A POSIÇAO DA COLUNISTA. Mas, concordo com o STF!

  83. Vocês que ficam anos no poder, procedem uma reeleição fraudulenta, não assumem seus erros, os escondem e o PT de Lula e Dilma que levantou esse país que não larga o osso. Deus permita que não o larguem. Assim os miseráveis deste país, não precisarão nunca mais voltar a roê-lo.

  84. O julgamento não manchou o nome de Dirceu, que já passou por isso, mas o cidadão, pois Dirceu cumprirá a pena e ficará livre, nós no entanto, nunca nos livraremos desse julgamento. Não sou petista, nem tucano, sou brasileiro e fico indignado ao ver o STF rasgar a Constituição Federal , mais cedo ou mais tarde, teremos juízes de primeiro grau julgar casos penais aplicando tal teoria criada pelo Stf, ai, estes sábios doutores terão que admitir o que fizeram, e, se retratar!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  85. Entre acreditar num artigo de um jornalista qualquer ou acreditar nos 11 Ministros do STF e na instituição secular que é o STF, prefiro a última opção. Quem quer ver a instituição destruída não pode ser melhor que os mensaleiros.

  86. Dou o meu inteiro e completo apoio à Hildegard Angel, uma brava guerreira democrata e consciente. É um grande desrespeito à República, à Democracia e aos valores humanos mais sérios, o que está fazendo a suprema corte no Brasil. Pela anulação da AP470.

  87. Jorge pimenta,muito total apoio ao seu comentário,um abraço,vamos mudar o que está errado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *