Mais uma bronca na Rio+20 e não é devido ao documento final!

Várias equipes do Exército foram selecionadas, treinadas e destacadas para acompanhar comitivas estrangeiras durante a Rio+20. Elas pensavam, briosas e orgulhosas, que dariam proteção às augustas autoridades, colocando em prática sua experiência e o treinamento recebido, à altura de suas patentes, que não são baixas, são tenentes, capitães etc. E o que tem acontecido? Tenentes, capitães etc. têm sido escalados para abrir porta de carro, carregar mala e outras tarefas próprias para copeiros, porteiros, estafetas e demais profissionais, de grande respeito, porém com outras qualificações e outros treinamentos, que não os deles, que sequer foram autorizados a portar armas. As armas são privilégios apenas dos seguranças estrangeiros de mesma nacionalidade da autoridade estrangeira respectivamente protegida…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *