LEONARDO BOFF DÁ UMA AULA DE PAPA: NON HABEMUS PAPAM

Está tudo na sucessão de posts de Leonardo Boff no Twitter, a partir do anúncio da renúncia do Papa. Colocações que expõem a sabedoria de Boff  e sua isenção, mesmo tendo sido tão perseguido pelo cardeal Ratzinger de ontem, o Bento XVI de hoje, ex-Papa do dia 28 de fevereiro.

Sobre a renúncia de Bento VI e seus motivos:
“A renúncia do Papa é um ato de razoabilidade. Humildemente deu-se conta dos limites da natureza que o impediam de exercer sua função. Foi digno”.
“O Papa havia acenado que poderia renunciar.Tem forte artrite nos joelhos e fêmur e sentia que a cabeça já não funcionava bem”.

Sobre a IGREJA CATÓLICA sem Papa:
“Segundo o canon 335, não se pode fazer nada na Igreja (sem o Papa). Ela congela. Um grupo de cardeais mantém a máquina funcionando”.
“Vamos dizer corretamente: “Non habemus papam”. Desculpe”.

Sobre a sucessão do Papa e os candidatos seus possíveis sucessores:
“Os Papas nomearam cardeais à sua imagem, moderados e conservadores. Há três que sobressaem: Madariaga de Honduras, Arinze da Nigéria, Turkson de Gana”.
“Na América Latina, há Borgoglio de B.Aires, que recebeu votos, Sandri também argentino e está em Roma e Madariaga de Honduras, inteligente”.
“Os dois cardeais negros, Arinze e Turkson, são mais romanos que Roma.  52%dos católicos vivem no Terceiro Mundo. Merecemos um Papa (da América Latina). O meu é Madariaga”.
“Küng (Hans Küng, teólogo) já manifestou preocupação de que Bento XVI acabe infuenciando alguém da linha dura dele o que aprofundaria a crise da Igreja”.

Sobre Bento XVI:
“Ele foi teólogo brilhante e aprendi muito dele quando tínhamos amizade. Mas não trouxe nenhuma novidade para a teologia”.
“Bento XVI foi controvertido. Tentou interpretar o Vaticano II à luz do Vaticano I:  à luz da autoridade do Papa e não da Igreja Povo de Deus”.
“Inegavelmente colocou o acento no reforço da Igreja hierárquica. Opcão básica: reevangelizar a Europa. Para nós significa: optar pelos ricos”.
“Bento XVI teve dois pesos e duas medidas.Tratava com luvas de pelica os reacionáriios seguidores de Lefebvre,nós da libertação a bastonadas”.

Sobre renúncias de Papas:
” Três Papas renunciaram: Ponciano em 325, escravizado; Celestino V, eremita, em 1294, sem experiência; Gregório XII, em 1415, um antipapa”.

Sobre o colégio eleitoral para escolha do novo Papa
“Como tantos teólogos sou a favor de um colégio que represente toda a Igreja, cardeais, leigos, homens e mulheres”.

Uma ideia sobre “LEONARDO BOFF DÁ UMA AULA DE PAPA: NON HABEMUS PAPAM

  1. Muito inteligentes as colocações feitas pelo teólogo Boff. Mais que isso, a sua fiel humildade ao comentar sobre aquele que foi o responsável direto pela interrupção de sua linda trajetória(sacerdócio) quando, junto com muitos outros religiosos e religiosas, plantavam no mundo a verdadeira e única opção pelos pobres, que é a Teologia da Libertação. Vamos rezar e muito, para que os 63 Cardeais da Europa, mais uma vez, não sejam o peso para eleger alguém voltado somente para as coisas do Velho Mundo. Afinal de contas, somos a maioria de católicos no mundo e precisando de maior atenção vinda de Roma. Parabéns Padre Boff.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *