Homens-ratos

Foi como ratos que vimos as centenas de bandidos correndo, de modo desordenado, saindo da Vila Cruzeiro para o Complexo do Alemão. E é como ratos que eles agora tentam fugir do Alemão, capturados nas passagens do esgoto. Assim vemos uma geração de jovens, muito jovens, pobres, cooptados pelo tráfico, não apenas porque tenham má indole, mas sobretudo por falta de políticas públicas sistemáticas, que lhes proporcionem oportunidades, que não sejam apenas aquela de ser bandido…

Que não nos percamos, neste momento, em meio a esse discurso triunfalista, e nos mantenhamos atentos de que as ações de hoje devem ter continuidade de maneira construtiva, numa ação bem coordenada, que proporcione acesso aos estudos a todos, a uma formação profissional, a oportunidades de trabalho, não apenas para os que já são adultos, mas desde os pequenos. Ações a longo prazo, e não apenas os fogos de artifício do entusiasmo momentâneo, sob o foco espetaculoso da mídia. É o ovo de Colombo, é o óbvio, mas é o que tem que ser feito. E lembrando que a presidente eleita, Dilma Rousseff, desde o primeiro discurso de campanha, colocou a tônica de seu empenho na educação, na valorização dos professores, em sua formação continuada. Só concretizando esses objetivos poderemos dizer que há uma luz no fim desse túnel enegrecido pela violência…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *