Fera de Caxias, a nova Fera da Penha

A notícia, hoje, que o corpo da pequena Lavínia, de 6 anos, sequestrada em sua casa e encontrada, debaixo da cama de um hotel em Caxias, estrangulada com um cordão de sapato pela amante de seu pai, arrepia, horroriza. Mas não é novidade. Em 1960, um crime terrível ganhou todas as manchetes e muitas edições das revistas da época. Foi o sequestro da menina Tânia Maria, que morreu queimada depois de levar um tiro na cabeça, num terreno baldio na Penha. A assassina era a amante do pai da menina, Neide Maia Lopes, logo apelidada pela imprensa de Fera da Penha. A morte de Tânia, e da maneira que foi, promoveu uma comoção nacional, abrindo a discussão da Reforma do Código Penal. O povo queria a pena de morte para casos assim. Neide cumpriu apenas 15 anos dos 33 em regime fechado aos quais foi condenada, na Penitenciária Feminina de Bangu, revelando-se uma detenta exemplar, e acabou exercendo funções na secretaria do presídio…

A pedido de leitores, que se chocaram ao ver aqui o rosto da assassina Neide Maia, retiramos do post a foto da a Fera da Penha, posava para as fotos e era descrita pela imprensa da época como “monstro cínico e frio”…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *