Entulho dos prédios é vigiado no depósito 24h por dia!

Não pegou nada bem a reportagem de ontem, em um jornal paulista, em que eram vistos operários de empreiteiras e da prefeitura, uniformizados, mexendo nos escombros dos prédios que desabaram, recolhidos no depósito da prefeitura…

Para evitar qualquer preocupação dos familiares das vítimas e dos proprietários dos andares destruídos, a Prefeitura acaba de distribuir nota afirmando: “A Procuradoria Geral do Município e a Polícia Civil adotarão todas as medidas possíveis para que o processo de separação (dos despojos) seja acompanhado também pelos proprietários, a fim de que os bens sejam identificados e depois liberados pelas autoridades policiais”…

Diz também: “O local está sendo protegido 24 horas pela Polícia Militar e possui duas câmeras, que filmam e gravam toda a movimentação. Todo o entulho está sob responsabilidade do Corpo de Bombeiros, que realiza o trabalho de buscas por vítimas”…

Leiam a nota na íntegra:

“A Prefeitura do Rio informa que todo o material recolhido na Avenida Treze de Maio, procedente do desabamento dos três prédios, está sendo armazenado em terreno da Comlurb localizado no KM 0 da Rodovia Washington Luis. O local está sendo protegido 24 horas pela Polícia Militar e possui duas câmeras, que filmam e gravam toda a movimentação. Todo o entulho está sob responsabilidade do Corpo de Bombeiros, que realiza o trabalho de buscas por vítimas. Somente após a conclusão das buscas, a Polícia Civil e o Instituto Carlos Eboli realizarão a perícia técnica nos escombros. Depois do término do trabalho do Corpo de Bombeiros e da perícia técnica, a Prefeitura do Rio, com supervisão das autoridades policiais, contratará uma empresa que ficará responsável por fazer a separação dos bens materiais que estão em meio aos escombros. A Procuradoria Geral do Município e a Polícia Civil adotarão todas as medidas possíveis para que o processo de separação seja acompanhado também pelos proprietários, a fim de que os bens sejam identificados e depois liberados pelas autoridades policiais.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *