Emissora global toma providência sobre excesso de botox de seus artistas!

Há dois meses, fiz aqui uma análise longa sobre o uso indiscriminado de botox e outros preenchimentos, pelos atores das novelas, que descracteriza suas fisionomias e confere a elas um artificialismo que, como resultado final, prejudica a credibilidade dos personagens e a própria dramaturgia da obra. Dei como exemplo algumas atrizes de producões da Rede Globo. E não falei apenas dos preenchimentos e do botox. Observei ainda o branqueamento excessivo dos dentes, que parecem diariamente escovados com ácido, fugindo totalmente à naturalidade. Sugeri que a emissora criasse mecanismos de “controle de qualidade” desse tipo de tratamento estético em seus contratados, pois o prejuízo é dela mesma, já que investe em seu elenco e seu patrimônio deve ser preservado e cuidado. Recebi todo tipo de comentários dos leitores. De Bruno Boni, filho do grande gênio da TV Brasileira José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, um honroso elogio, que vocês poderão conferir postado aqui nos Comentários. De outros, até ofensas, como vocês conferirão também. E o resultado?…

Sou agora informada de que, muito acertadamente, a direção da Globo tomou providências e os diretores dos núcleos de novelas passaram a controlar junto aos dermatologistas o excesso de uso de botox e derivados pelos seus artistas, sobretudo os atores jovens, cujos rostos ficam totalmente inexpressivos quando os preenchimentos são exagerados, e eles são vistos no vídeo sem sequer uma ruguinha, ou seja: como se fossem atores digitais!…

Sei que é difícil receber críticas. Mais difícil ainda, saibam vocês, é criticar, nesta época em que os formadores de opinião se resignaram a, em vez de expressar o que pensam, apenas repercutir os lugares comuns, mais preocupados com os aplausos, a circulação de seus veículos e a audiência de seus horários, do que com a responsabilidade da função que exercem de opinadores. Preferem agradar para talvez – quem sabe? – até descolar um empreguinho naquela rede de TV…

Assim, deixam de contribuir e de cumprir seu verdadeiro papel. E vemos, com um certo escândalo, “críticos” (ou seriam ex-críticos?) apenas repetirem a voz das ruas, o pensamento geral, em vez de, com os elementos que têm para isso, se preocuparem em despertar sensibilidades, mostrar rumos, apontar caminhos. Uma lástima!…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *