Danemberg na Rio + 20

A convite do Itamaraty, o antiquário Arnaldo Danemberg vai assinar a ambientação, curadoria e acervo da sala dos chefes de Estado da Rio + 20, no Riocentro. São 400 metros quadrados, mas a sala dos cônjuges, de 200 metros…

O conceito da sala é a restauração e a preservação da memória de um povo através do antiquariato. Vários itens do acervo de Arnaldo farão parte da ambientação. Ele convidou o arquiteto Maurício Nóbrega para uma parceria neste trabalho e, segundo Danemberg, o projeto dele está um luxo, em final de montagem na próxima quarta-feira…

Vários exemplares do mobiliário brasileira serão usados, começando pela mesa de cavaletes do século XVII, dos primórdios de nossa colonização, uma coleção de cadeiras em jacarandá e palhinha do século XIX, marquesas neo-clássicas, uma deslumbrante mesa de convento brasileira do século XIX, com cinco metros de comprimento, vitrines Império, numa mescla com móveis portugueses (arcaz em castanho, século XVII, outro arcaz também em castanho, neo-clássico), uma rara cômoda portuguesa em castanho, do século XVII, Barroco Joanino, mais uma série de baús europeus, retratando a chegada do homem em suas tantas viagens, como os chefes de Estado…

Móveis franceses, ingleses e até anglo-indianos complementam a decoração. Outros tantos compõem a ambientação. Retratando o Homem na Restauração, uma série de painéis de fotografias do Marco Rezende. Ainda nos complementos, fotos de árvores de Valdir Cruz, da Pequena Galeria, sofás da Interni, painéis de Portinari (Árvore da Vida para os Chefes de Estado, Flores para a sala dos cônjuges), uma bela coleção de abajures de jacarandá brasileiros dos anos 70, tapetes em sisal e sofás em couro Le Corbusier. Arnaldo Danemberg, que amanhã recebe em seu antiquário para almoço com vitrines de Joy Garrido e Erick Figueira de Mello, está super orgulhoso…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *