Brasil e Argentina, a grande diferença

Vejam a diferença…

No dia de hoje, foram condenados à prisão perpétua, na Argentina, um general e um coronel, por crimes durante a ditadura, de 1976 a 1983, praticando tortura, homicídio e por privação ilegítima da liberdade no centro de tortura chamado El Vesúbio. Entre os 156 crimes, houve 17 fuzilamentos. O julgamento começou em fevereiro de 2010, a partir da reabertura da causa, em 2003, depois que foram anuladas as leis de anistia…

No dia de hoje, foi necessário a Ordem dos Advogados do Brasil pedir à Procuradora-Geral da República que proceda a uma investigação sobre o desaparecimento dos documentos sigilosos relativos ao período da ditadura militar, porque eles simplesmente “desapareceram”, segundo palavra aliás dita pelo próprio Ministro de Defesa do Brasil ao dar essa informação, e ninguém, nenhum órgão se deu ao trabalho de apurar em que circunstâncias isso aconteceu, como, onde, quando e por iniciativa de quem?!!!…

Esta é a grande diferença. Um país tenta retomar sua história apurando as responsabilidades do passado e fazendo com que os crimes não permaneçam impunes. Um outro país tem como orientação, prática, parâmetro e destino o exercício permanente da impunidade…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *