BETH E SERPA: A FELICIDADE NA COR CORAL

Beth e Carlos Alberto Serpa comemoraram suas Bodas de Coral ontem, com Missa em Ação de Graças, na Igreja do Outeiro da Glória, seguida de coquetel na Casa Julieta de Serpa

Igreja decorada com rosas e gérberas na cor de coral, coro maravilhoso, a lua redondona iluminando tudo e a imagem de Nossa Senhora da Glória cintilando em seu vestido novo do Guilherme Guimarães, conferindo ainda mais luz à cerimônia celebrada por três padres: Omar, Edivino e o pároco do Outeiro da Glória, Sergio Costa Couto

Dom Cipriano Chagas, presente, preferiu assistir à cerimônia no banco, entre os fiéis, mas foi ao altar abençoar os noivos, com os demais religiosos, na hora da confirmação dos votos…

Serpa confirmou suas juras, com sua voz firme e forte, de tenor, ao microfone. Beth, com sua timidez famosa, falou bem baixinho, um mumúrio, e ainda empurrou o microfone bem longe, para não ser ouvida. Os presentes riram, os padres riram, todos riram. E padre Sérgio comentou com humor: “Ninguém ouviu, mas nós quatro aqui no altar estamos de prova que ela disse seus votos sim, viram?”. E todos riram ainda mais. Esta é a Beth. Discretíssima Beth Serpa

Padre Edivino falou uma mensagem especial para o casal. O pároco Sérgio contou que Serpa é o mais antigo membro da Irmandade da Glória, pois a frequenta desde os seis anos de idade, na companhia de sua mãe saudosa, a Irmã dona Julieta, que impunha a presença do menino, mesmo não sendo usual crianças participarem dos encontros da Irmandade. Porém, sem ele, dona Julieta não ia e ponto final!…

Serpa, que vestiu a cor coral na camisa e no lenço do blazer, fez belíssima declaração de amor à Beth. Falou da cumplicidade deles na vida a dois. Disse que Beth tem estado muito presente em bons e maus momentos. Que os aconselhamentos dela sempre deram certo e que sempre que não os seguiu não se deu bem. Elogiou o jeito muito meigo e especial dela de mandar nele, dizendo “se eu fosse você…”, em lugar de impor, resultando em 35 anos de perfeita harmonia e cumplicidade

Depois da missa, todos foram para o coquetel na Casa de Cultura Julieta de Serpa, também decorada em tons vários de coral, tal e qual as joias da Beth e o palazzo pijama imprimé que ela vestia. Música ao vivo com Felipe Smith no teclado, bolo de parabéns, champagne e muitas delícias na noite…

Fotos de Marcelo Borgongino

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *